terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

10 anos depois...

Postado por Mila Viegas às 07:57
Imagem daqui!

... Ainda é tempo de recomeçar!

Foi fantástico voltar ao atelier de pintura, ao espaço aconchegante da minha amiga e mestra Meg Carvalho. Rever minhas telas que há tempos não admirava. Resgatar pitadas da minha criatividade com as cores. Não consigo descrever a emoção de lambuzar os pincéis com tinta a óleo... Não existem palavras! E junto com tudo isso, reencontrar colegas, conhecer outros, bater papo e tomar o café da tarde em meio à arte. Nessas horas me sinto criança e me sinto bem... Com um entusiasmo desmedido para criar possibilidades.

Tenho uma tela que há 10 anos foi iniciada e que, ontem, voltou a ganhar cores novas. Pretendo terminá-la até o outono. Dentre os elementos místicos que fiz questão de focar estão duas lindas flores de lótus confundindo-se com o céu azul escuro e as águas de um lago encantado.

Diz a lenda que...
Certo dia, à margem de um tranquilo lago solitário, a cuja margem se erguiam frondosas árvores com perfumosas flores de mil cores, e coalhadas de ninhos onde as aves canoras chilreavam, encontraram-se quatro elementos irmãos: o fogo, o ar, a água e a terra.
- Quanto tempo sem nos vermos em nossa nudez primitiva! - disse o fogo cheio de entusiasmo, como é de sua natureza.
- É verdade - disse o ar. - É um destino bem curioso o nosso. A custa de tanto nos prestarmos para construir formas e mais formas, tornamo-nos escravos de nossa obra e perdemos nossa liberdade.
- Não te queixes - disse a água -, pois estamos obedecendo a Lei, e é um Divino Prazer servir à Criação. Por outro lado, não perdemos nossa liberdade; tu corres de um lado para outro, à tua vontade; o irmão fogo entra e sai por toda parte servindo a vida e a morte. Eu faço o mesmo.
- Em todo o caso, sou eu quem deveria me queixar - disse a terra -, pois estou sempre imóvel, e mesmo sem minha vontade dou voltas e mais voltas, sem descansar no mesmo espaço.
- Não entristeçais minha felicidade ao ver-nos - tornou a dizer o fogo - com discussões supérfluas. É melhor festejarmos estes momentos em que nos encontramos fora da forma. Regozijemo-nos à sombra destas árvores e à margem desse lago formado pela nossa união.
Todos o aplaudiram e se entregaram ao mais feliz companheirismo. Cada um contou o que havia feito durante sua longa ausência, as maravilhas que tinham construído e destruído. Cada um se orgulhou de se haver prestado para que a Vida se manifestasse através de formas sempre mais belas e perfeitas. E mais se regozijaram, pensando na multidão de vezes que se uniram fragmentariamente para o seu trabalho.
Em meio de tão grande alegria, existia uma nuvem: o homem. Ah! Como ele era ingrato!. Haviam-no construído com seus mais perfeitos e puros materiais e o homem abusava deles, perdendo-os. Tiveram o desejo de retirar sua cooperação e privá-lo de realizar suas experiências no plano físico. Porém, a nuvem dissipou-se e a alegria voltou a reinar entre os quatro irmãos.
Aproximando-se o momento de se separarem, pensaram em deixar uma recordação que perpetuasse através das idades a felicidade de seu encontro. Resolveram criar alguma coisa especial que, composta de fragmentos de cada um deles harmonicamente combinados, fosse também a expressão de suas diferenças e independência, e servisse de símbolo e exemplo para o homem. 
Houve muitos projetos que foram abandonados por serem incompletos e insuficientes. Por fim, refletindo-se no lago, os quatro disseram:
- E se construíssemos uma planta cujas raízes estivessem no fundo do lago, a haste na água e as folhas fora dela?
- A ideia pareceu digna de experiência. Eu porei as melhores forças de minhas entranhas - disse a terra - e alimentarei suas raízes.
- Eu porei as melhores linfas de meus seios - disse a água - e farei crescer sua haste.
- Eu porei minhas melhores brisas - disse o ar - e tonificarei a planta.
- Eu porei todo o meu calor - disse o fogo - para dar às suas corolas as mais formosas cores.
Dito e feito. Os quatro irmãos começaram a sua obra. Fibra sobre fibra foram construídas as raízes, a haste, as folhas e as flores. O sol abençoou-a e a planta deu entrada na flora regional, saudada como rainha.  
Quando os quatro elementos se separaram, a Flor de Lótus brilhava no lago em sua beleza imaculada, e servia para o homem como símbolo de pureza e perfeição humana. Consultaram-se os astros e foi fixada a data de 08 de maio - quando a Terra está sob a influência da Constelação de Taurus, símbolo do Poder Criador - para a comemoração que desde épocas remotas se tem perpetuado através das idades. Foi espalhada esta comemoração por todos os países do Ocidente e, em 1948, o dia 08 de maio se tornou também o "Dia da Paz". 
Esta é uma das inúmeras lendas que giram em torno da criação da Flor de Lótus e fico feliz por tê-la escolhido há 10 anos para compor o quadro ainda inacabado. A finalização dessa tela marcará o meu reencontro íntimo com a arte que aguardou pacientemente o meu melhor momento de evolução... O divisor de águas literalmente retratado.
Tal como a flor do lótus cresce da escuridão do lodo para a superfície da água, abrindo suas flores somente após ter-se erguido além da superfície, ficando imaculada de ambos (terra e água) que a nutriam - do mesmo modo a mente, nascida no corpo humano, expande suas verdadeiras qualidades (pétalas) após ter-se erguido dos fluidos turvos da paixão e da ignorância, e transforma o poder tenebroso da profundidade no puro néctar radiante da consciência iluminada... A incomparável joia na flor de lótus. Se o impulso da luz não estivesse adormecido na semente profundamente escondida na escuridão da terra, o lótus não poderia se voltar em direção à luz. Se o impulso para uma maior consciência e conhecimento não estivesse adormecido mesmo no estado da mais profunda ignorância, nem mesmo num estado de completa inconsciência, um iluminado nunca poderia se erguer da escuridão do Samsara. A semente da iluminação está sempre presente no mundo...

Namastê!

2 comentários:

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Mila
Passo pra saber como está e tomara que esteja muito bem junto aos seus!!!
Também pra felicitar-lhe pela PASCOELA...
BJM DE PAZ E PASCAL

Orvalho do Céu disse...

Querida
Emergir!!!
Também estou nisso...
Bjm de paz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Assine a petição!

 

Diário de uma bagunceira ;) Copyright © 2011 Design by Ipietoon Blogger Template | web hosting