terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

10 anos depois...

Postado por Mila Viegas às 07:57 2 comentários
Imagem daqui!

... Ainda é tempo de recomeçar!

Foi fantástico voltar ao atelier de pintura, ao espaço aconchegante da minha amiga e mestra Meg Carvalho. Rever minhas telas que há tempos não admirava. Resgatar pitadas da minha criatividade com as cores. Não consigo descrever a emoção de lambuzar os pincéis com tinta a óleo... Não existem palavras! E junto com tudo isso, reencontrar colegas, conhecer outros, bater papo e tomar o café da tarde em meio à arte. Nessas horas me sinto criança e me sinto bem... Com um entusiasmo desmedido para criar possibilidades.

Tenho uma tela que há 10 anos foi iniciada e que, ontem, voltou a ganhar cores novas. Pretendo terminá-la até o outono. Dentre os elementos místicos que fiz questão de focar estão duas lindas flores de lótus confundindo-se com o céu azul escuro e as águas de um lago encantado.

Diz a lenda que...
Certo dia, à margem de um tranquilo lago solitário, a cuja margem se erguiam frondosas árvores com perfumosas flores de mil cores, e coalhadas de ninhos onde as aves canoras chilreavam, encontraram-se quatro elementos irmãos: o fogo, o ar, a água e a terra.
- Quanto tempo sem nos vermos em nossa nudez primitiva! - disse o fogo cheio de entusiasmo, como é de sua natureza.
- É verdade - disse o ar. - É um destino bem curioso o nosso. A custa de tanto nos prestarmos para construir formas e mais formas, tornamo-nos escravos de nossa obra e perdemos nossa liberdade.
- Não te queixes - disse a água -, pois estamos obedecendo a Lei, e é um Divino Prazer servir à Criação. Por outro lado, não perdemos nossa liberdade; tu corres de um lado para outro, à tua vontade; o irmão fogo entra e sai por toda parte servindo a vida e a morte. Eu faço o mesmo.
- Em todo o caso, sou eu quem deveria me queixar - disse a terra -, pois estou sempre imóvel, e mesmo sem minha vontade dou voltas e mais voltas, sem descansar no mesmo espaço.
- Não entristeçais minha felicidade ao ver-nos - tornou a dizer o fogo - com discussões supérfluas. É melhor festejarmos estes momentos em que nos encontramos fora da forma. Regozijemo-nos à sombra destas árvores e à margem desse lago formado pela nossa união.
Todos o aplaudiram e se entregaram ao mais feliz companheirismo. Cada um contou o que havia feito durante sua longa ausência, as maravilhas que tinham construído e destruído. Cada um se orgulhou de se haver prestado para que a Vida se manifestasse através de formas sempre mais belas e perfeitas. E mais se regozijaram, pensando na multidão de vezes que se uniram fragmentariamente para o seu trabalho.
Em meio de tão grande alegria, existia uma nuvem: o homem. Ah! Como ele era ingrato!. Haviam-no construído com seus mais perfeitos e puros materiais e o homem abusava deles, perdendo-os. Tiveram o desejo de retirar sua cooperação e privá-lo de realizar suas experiências no plano físico. Porém, a nuvem dissipou-se e a alegria voltou a reinar entre os quatro irmãos.
Aproximando-se o momento de se separarem, pensaram em deixar uma recordação que perpetuasse através das idades a felicidade de seu encontro. Resolveram criar alguma coisa especial que, composta de fragmentos de cada um deles harmonicamente combinados, fosse também a expressão de suas diferenças e independência, e servisse de símbolo e exemplo para o homem. 
Houve muitos projetos que foram abandonados por serem incompletos e insuficientes. Por fim, refletindo-se no lago, os quatro disseram:
- E se construíssemos uma planta cujas raízes estivessem no fundo do lago, a haste na água e as folhas fora dela?
- A ideia pareceu digna de experiência. Eu porei as melhores forças de minhas entranhas - disse a terra - e alimentarei suas raízes.
- Eu porei as melhores linfas de meus seios - disse a água - e farei crescer sua haste.
- Eu porei minhas melhores brisas - disse o ar - e tonificarei a planta.
- Eu porei todo o meu calor - disse o fogo - para dar às suas corolas as mais formosas cores.
Dito e feito. Os quatro irmãos começaram a sua obra. Fibra sobre fibra foram construídas as raízes, a haste, as folhas e as flores. O sol abençoou-a e a planta deu entrada na flora regional, saudada como rainha.  
Quando os quatro elementos se separaram, a Flor de Lótus brilhava no lago em sua beleza imaculada, e servia para o homem como símbolo de pureza e perfeição humana. Consultaram-se os astros e foi fixada a data de 08 de maio - quando a Terra está sob a influência da Constelação de Taurus, símbolo do Poder Criador - para a comemoração que desde épocas remotas se tem perpetuado através das idades. Foi espalhada esta comemoração por todos os países do Ocidente e, em 1948, o dia 08 de maio se tornou também o "Dia da Paz". 
Esta é uma das inúmeras lendas que giram em torno da criação da Flor de Lótus e fico feliz por tê-la escolhido há 10 anos para compor o quadro ainda inacabado. A finalização dessa tela marcará o meu reencontro íntimo com a arte que aguardou pacientemente o meu melhor momento de evolução... O divisor de águas literalmente retratado.
Tal como a flor do lótus cresce da escuridão do lodo para a superfície da água, abrindo suas flores somente após ter-se erguido além da superfície, ficando imaculada de ambos (terra e água) que a nutriam - do mesmo modo a mente, nascida no corpo humano, expande suas verdadeiras qualidades (pétalas) após ter-se erguido dos fluidos turvos da paixão e da ignorância, e transforma o poder tenebroso da profundidade no puro néctar radiante da consciência iluminada... A incomparável joia na flor de lótus. Se o impulso da luz não estivesse adormecido na semente profundamente escondida na escuridão da terra, o lótus não poderia se voltar em direção à luz. Se o impulso para uma maior consciência e conhecimento não estivesse adormecido mesmo no estado da mais profunda ignorância, nem mesmo num estado de completa inconsciência, um iluminado nunca poderia se erguer da escuridão do Samsara. A semente da iluminação está sempre presente no mundo...

Namastê!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Aromatizar é tudo de bom! :)

Postado por Mila Viegas às 10:46 0 comentários
Imagem daqui!
Entrar numa casa perfumada é sempre agradável. Afinal, quem não gosta de uma sala com um suave cheiro de rosas ou um quarto que recende a lavanda? Daí ser cada vez mais comum aromatizar ambientes, principalmente hoje, quando o mercado oferece vários produtos além do popular incenso: difusores a vela ou elétricos, velas, varetas, pot-pourri, esferas ou anéis de cerâmica, bolas de madeiras, sachês e águas perfumadas. Todos eles usam óleos essenciais ou essência de flores, ervas e frutas. Por serem mais baratas, as essências são mais populares. Sintéticas, são feitas em laboratório e um fraco de 100ml custa cerca de 10 reais. Já os óleos essenciais são extratos puros das flores e plantas, sendo 100% naturais e, portanto, bem mais caros.

Bom, mas se a ideia é apenas deixar no ar um cheirinho gostoso, a essência dá conta do recado. Os difusores aquecem a essência e espalham seu cheiro puro no ambiente. Já as velas, boas para perfumar e decorar, vão bem em locais pequenos e exalam o aroma enquanto estiverem acesas. As varetas de bambu ou madeira, que ficam mergulhadas em frascos de vidro com uma fórmula que leva óleo essencial, duram cerca de 60 dias. As águas perfumadas tiram o odor ruim do ambiente na hora, enquanto esferas e anéis de cerâmica ou madeira (além de sachês e pot-pourris) com gotas de essência conservam os ambientes perfumados durante muitos dias.

O quarto:

  • Se você quer tranquilidade invista na lavanda;
  • Se a sua intenção é ter uma noite romântica use patchuli, sândalo ou Ilangue-ilangue (este também funciona como antidepressivo);
  • Quer relaxar? Gerânio, cedro e a lavanda dão conta do recado.
O banheiro:
  • Os aromas cítricos evocam uma atmosfera de limpeza: hortelã (estimulante e revigorante); eucalipto (estimulante e refrescante); pinho (estimulante); pitanga (calmante infantil) e maracujá (calmante).
  • Você pode usar velas que são excelentes para espaço pequenos ou um difusor.
A sala:
  • A melhor maneira de perfumar ambientes grandes é por meio de varetas, incensos e difusores. Se a intenção é manter a sala sempre com o mesmo perfume, as varetas são uma boa alternativa, pois espalham o aroma enquanto houver líquido no vidro.
  • Se você escolher o incenso lembre-se que eles aromatizam somente quando estão acesos e o aroma dura cerca de 1 hora;
  • Os difusores  (por vela ou elétricos) espalham  perfume em uma área média de 30m2. Se a sua sala for maior que isso serão necessários dois aparelhos, um em cada extremidade. Lembre-se que os difusores devem ficar sempre abaixo do nariz, ou seja, nada de colocá-lo na última prateleira da estante;
  • Essências indicadas: tangerina (relaxante), gerânio (calmante, sedativo e antidepressivo), lemongrass (calmante), lima (energizante e revitalizante), grapefruit (restaurador).
A cozinha:
  • Águas perfumadas ajudam a tirar o cheiro de gordura e de alimentos;
  • Velas são uma boa escolha, mas evite aromas muito fortes ou adocicados;
  • Essências indicadas: alecrim (energizante), manjericão (sedativo), lemongrass (calmante e sedativo), laranja (calmante), hortelã (revigorante e estimulante).
Quer fazer suas fórmulas em casa?

Você pode evitar comprar produtos de limpeza industrializados para passar roupas e limpar a casa. Anote essas três receitas caseiras:

Água de passar
  • 90ml de água mineral, deionizada ou destilada;
  • 10ml de álcool de cereais;
  • 10ml de essência de lavanda
Misture os ingredientes, coloque em borrifador e aplique na roupa de cama e banho na hora de passar ou fazer a cama.

Sachê antimofo
  • Círculos de tecido de algodão cru de 15cm de diâmetro;
  • Giz escolar de quadro-negro;
  • Cascas de laranja seca, canela em pau e cravo
Em cada círculo, coloque pedaços pequenos de giz, a canela, o cravo e a laranja e amarre, fazendo uma trouxinha. Ponha em armários e gavetas.

Água de limpeza para o interior da casa e dos banheiros
  •  1 litro de álcool de cereais;
  • 20ml dos seguintes óleos essenciais:
para a casa: 10ml de pau-rosa e 10ml de laranja ou 10ml de eucalipto com 5ml de tea tree e 5ml de laranja;
para banheiros: 10ml de tangerina e 10ml de alecrim.

Guarde a mistura num vidro de cor âmbar bem fechado, longe da luz. Para usar, dilua e 2 a 4 colheres de sopa em 1 litro de água e passe com pano nos ambientes.

Fonte: Adaptado da Revista Casa Claudia de março/2009.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Aproveitando os últimos dias...

Postado por Mila Viegas às 14:54 0 comentários
Hoje seria dia da "Sexta Craft", mas minha conexão está tão moribunda que tem sido muito difícil subir fotos. Além disso, está rolando aquela preguicinha de final de feriadão já que meu "ano" só vai mesmo começar na próxima segunda-feira.

Agora que, finalmente, acabou toda essa folia carnavalesca está chegando a hora de colocar alguns planos em ação. Projetos antigos que estavam engavetados começam a dar o ar da graça... Coisas que quero fazer, coisas que quero voltar a fazer, coisas que quero aprender... Enfim... Coisas e mais coisas.

Embora já existam prazos que precisam ser cumpridos, a sensação que me dá é ter bem na minha frente uma imensa folha em branco doida para ficar colorida. Projetos pessoais e profissionais se mesclam e, às vezes, não consigo distinguir qual é qual. Desde de 2009 eu tenho usado palavras-chave que definirão como será o Ano Novo. Em 2010 a palavra foi "interessante", o que fez deste ano realmente assim. Em 2011 foi a vez de "desafios" (rolaram muitos) e, agora, 2012 me trouxe a promessa de "evolução" (vamos ver como será o processo).

Então é isso...

Agendas, listas, vontade...

Primeiro projeto:
"De volta às aulas de pintura!"

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Antes e Depois... Mesa!

Postado por Mila Viegas às 06:30 0 comentários
Quando compramos uns móveis usados ganhamos essa mesa maravilhosa. O antigo dono a pintou de branco, mas a gente sempre nutriu uma curiosidade de vê-la na cor de madeira. Sem contar que gostamos bastante de móveis na cor original e, como esta será a nossa mesa de jantar, queríamos que ela combinasse com o resto da mobília.

Veja como era e como ficou:


Agora deixa eu contar (e mostrar) como foi o passo-a-passo:

Remover a tinta branca deu certo trabalho, mesmo usando removedor (usamos o da marca Pintoff). Nunca se esqueça de que é preciso remover todo o Pintoff para poder trabalhar na superfície.

Olhe como estava a pintura branca! 
O removedor é uma mão na roda. Quando você passa, em poucos segundos, a tinta antiga vai enrugando, formando bolhas e depois é só passar uma boa espátula para retirar o excesso.
Outro ângulo da tinta sendo removida pelo Pintoff.

Só o removedor não deixaria a mesa com o aspecto que desejávamos, por isso, foi preciso lixar, lixar e lixar:

Primeiramente usamos a lixa de ferro nº60 na furadeira, pois a tinta estava muito encruada e precisamos dar uma desgastada de leve na madeira. 

Ainda com a lixa nº 60. Para dar o acabamento usamos a lixa nº 220, mais fininha. Não tirei foto  da gente usando  a lixadeira orbital com a lixa que especifiquei acima. Se você quiser um efeito ainda mais uniforme precisa usar a lixa nº 120 antes da 220. Como queríamos conservar os "veios" da madeira, pulamos uma etapa.

Aqui eu mostro uma parte do tampo da mesa lixada e a outra ainda com resquícios da tinta branca.

Depois que removemos a tinta branca o máximo que conseguimos, chegou a hora de dar o acabamento final com verniz. Usamos o Osmocolor Natural UV Gold que, na realidade, é um selador com acabamento. Ele dá uma escurecida de leve na madeira. Confesso que quando fomos comprá-lo ficamos com medo da tonalidade, mas foi uma surpresa agradável porque deu o efeito que queríamos. Quando você for comprar esse selador, se informe, pois há outros da mesma marca que dá efeitos diferentes. Esse, por exemplo, é acetinado e também pode ser usado para exterior.

Começando a aplicar o Osmocolor no tampo da mesa.

Tampo da mesa coberto com o Osmocolor.

Os pés da mesa já tinham uma tonalidade mais escura e deu um contraste bacana. Aqui estou mostrando o início da aplicação.

A parte debaixo já totalmente pronta.

E o resultado final.
Custo aproximado do projeto:

  • Removedor: em torno de R$ 20,00;
  • Lixas: aproximadamente R$ 20,00;
  • Selador: R$ 40,00.
  • Total: R$ 80,00
Poderíamos ter utilizado apenas as lixas para remover a tinta branca, o que reduziria o preço do removedor e acabaria dando o mesmo resultado. Em relação ao selador, o custo benefício é enorme, pois ele rende absurdamente.

***


Dedicamos algumas semanas a este projeto já que ambos trabalhamos fora e só temos os finais de semana para isso. A mesa ainda está na varanda aguardando a secagem completa do selador para que possamos aplicar a segunda demão. O próximo passo é dar continuidade ao projeto de reforma da nossa cômoda.

Até mais!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Em tempo real... é quase carnaval!

Postado por Mila Viegas às 09:51 0 comentários
Isso aí, meus queridos!
Sentiram como o ano já está passando super rápido? Pois é!

Bom, depois de amanhã já podemos considerar oficial o tal "grito de carnaval" e aí, no meu caso, o trabalho fora de casa só retorna no dia 27/02 (segundona que promete!). Ficarei ausente por esses dias já que terei que rebolar (nos blocos da vida??? Nãoooo! rs) com os afazeres domésticos, planejamentos de aula, etc e tal. Vou tentar dar uma boa descansada também porque ninguém é de ferro.

Não curto essa folia carnavalesca, então o plano é ficar em casa mesmo fazendo faxinas.. hahahahahha... Carnaval, para mim, é uma espécie de mini-férias... Tipo aquele sonho bom que termina rapidinho. Por isso, o blog voltará à normalidade depois dessa agitação toda, assim como a fan page.

Deixo vocês com essa tirinha super fofa feita pela Clara Gomes e disponível no seu site lindo chamado Bichinhos de Jardim:

Aí está minha sensação deste feriadão...

Imagem daqui!


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Você está à espera de inspiração?

Postado por Mila Viegas às 06:00 0 comentários

Aproveita que hoje é segunda-feira e se joga de corpo e alma nessa simples dica dada pela Elsa Jewett (Tudo em Ordem).

Com essa mudança de temperatura maluca que estamos vivendo ultimamente, quem já está experimentando o calorão do verão pode estar se sentindo um pouco lento e sem inspiração para cuidar da organização da casa e tudo o mais. A dica que Elsa nos dá pode não ser inspiradora, mas pode te sintonizar para o que você está esperando e vai ajudar a criar a tal inspiração.

Frank Tibolt diz que "Devemos ser ensinados a não esperar por inspiração para começar alguma coisa. Ação sempre gera inspiração. Inspiração raramente gera ação".

Se você está esperando ter aquela vontade de iniciar seus projetos de organização, desista e parta para a ação. Tente saltar para o projeto e veja o que acontece. Veja se ele gera a tão aguardada inspiração que você estava procurando. Mesmo que ela não te visite, você estará um passo mais perto da conclusão do mesmo.

Se você iniciou um projeto e perdeu o interesse nele, tente criar um ambiente diferente (um clima diferente) para retornar à ele. Você pode se surpreender e inspirar os que te rodeiam.

Dicas: Música pode te ajudar a aliviar a experiência, então, liga o som aí. Às vezes, chamar alguém para te ajudar a ter foco poderá fazer o seu projeto fluir com mais facilidade.
Experimenta!

******

Domingo retrasado eu acordei com uma preguiça daquelas! Além disso, uma dorzinha de cabeça chata por conta de um início de resfriado. Sabia que precisava dar banho nos dois poodles aqui de casa, não tinha como fugir disso. Aproveitei para colocar roupas para lavar, dei o banho nos cães, daí começou a surgir disposição e inspiração para fazer mais alguma coisa. Organizei a cozinha, varri a rampa da garagem e desentupi as valetas que estavam cheias de folhas secas. Ainda sobrou pique para fazer cupcakes, limpar a sala e ir visitar uma amiga. Na volta, fiz as unhas e deixei tudo organizado para ir para o trabalho na manhã seguinte.

Não posso afirmar que o processo foi inspirador, mas ter conseguido fazer além da minha proposta e ver o resultado foi animador.

*******

Boa semana!



domingo, 12 de fevereiro de 2012

Bom domingo ;)

Postado por Mila Viegas às 05:00 0 comentários
Imagem daqui!

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Sábado Craft - Capa de Almofada

Postado por Mila Viegas às 06:30 0 comentários

Gente, muito fácil fazer essa capa para almofadas e detalhe: SEM COSTURA!!! A ideia é do blog Organize & Decorate Everything. Clique aqui para ver o passo-a-passo.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Sexta craft - Organizadores

Postado por Mila Viegas às 06:30 0 comentários
O blog How About Orange fez uma seleção muito bacana de tutoriais que te ensinam a confeccionar esses organizadores. Não é legal? Os passo-a-passos estão em inglês, mas tem fotos e vale a pena dar uma conferida. Clique na imagem para passear pelos tutoriais e escolher qual você vai se aventurar a fazer! Eu ainda estou em processo de decisão... hihihi!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Como ser feliz em 03 passos...

Postado por Mila Viegas às 06:30 0 comentários
Hoje já é quinta-feira... Final de semana bem pertinho... Estamos ansiosos para amanhã chegar logo (depois do horário comercial, é claro!), para acordarmos mais tarde no sábado, para confraternizarmos com um almoço de domingo junto à família. Estamos cansados dessa maratona semanal de trabalho e com muita vontade de reencontrar amigos para um café, uma rodada de chopp ou um simples bate-papo.

Eu sei! O ano mal começou e estamos exaustos só de repassar mentalmente as tarefas que precisam ser cumpridas, os prazos apertados, a pressão do cotidiano. Dia vai, dia vem e antes mesmo do sol nascer já nos sentimos esgotados e, muitas vezes, por compromissos que nem ao menos foram iniciados... Trememos só de pensar nessa correria frenética que o mundo se tornou.

Nas minhas andanças por esse universo virtual, encontrei um artigo escrito por Leanne Naidoo que se chama "Como ser feliz em 03 passos". Está em inglês, mas acho que consegui resumir o que importa e adequar à nossa realidade. Então, a inspiração para este post partiu daí, além da necessidade de por em prática novos exercícios, novas propostas. Está preparado para exercitar a felicidade com esses 03 passos a seguir? Eu estou!

Imagem daqui!
Você gostaria de aprender a ser feliz? Isso é bom demais para ser verdade?
Na verdade, encontrar a felicidade se resume a saber se estamos abertos às possibilidades de que é possível tê-la. Os passos são fáceis e simples de entender. Mas devo adverti-lo: não apenas leia este artigo, mas sim encare-o como um exercício e aplique-o em sua vida nas próximas duas semanas. Certifique-se de que você tem revisto seus pensamentos a cada manhã ou à noite. Não precisa ser nada demorado, apenas um rápido check-in: "Quinta-feira, dia 9 - Hummmm, ontem eu acordei muito bem e cheia de disposição, na hora do café-da-manhã tocou uma música no rádio que me fez lembrar um momento muito legal. No trabalho consegui ter sucesso explicando o conteúdo do primeiro capítulo do livro aos meus alunos... ".

Após cerca de duas semanas, eu consigo dizer com confiança que não só os seus níveis de estresse caíram, como o seu sentimento de bem-estar aumentou. Você só nota essa diferença se acompanhar o processo de alguma maneira.

Os três componentes da felicidade:

  • Algo para fazer
  • Alguém para amar
  • Olhar para frente
Algo para fazer

Imagem daqui!
Gastar tempo fazendo um trabalho que lhe dê uma "sensação de significado pessoal". E quando me refiro ao trabalho, estou usando um sentido muito amplo. Trabalho pode ser uma atividade, um hobby, a participação em um determinado grupo social, uma instituição de caridade a qual você se dedica, etc. Assim, o trabalho é uma atividade que você investirá tempo e lhe dá um senso de propósito, além de te fazer sentir bem. Se você tem um hobby que lhe interessa e isso traz significado para a sua vida, este então é o seu verdadeiro trabalho.

Trabalho pode ser qualquer coisa que te agrada: leitura, tempo com seus filhos, fazer artesanato, cuidar de animais... Este é seu trabalho real.

E como isso funciona na realidade? Para mim (Mila Viegas), escrever neste blog traz a sensação de significado pessoal, assim como ler livros sobre diversos assuntos, pesquisar maneiras de tornar a vida escolar dos meus alunos mais prazerosa, escrever contos, desenhar... Enfim... esses pequenos projetos me dão satisfação.

Alguém para amar


Imagem daqui!
Não me refiro a alguém para enviar um cartão no Dia dos Namorados. Estou falando de amor verdadeiro. Eis uma definição que, realmente, tem a ver com o que eu penso:

Nós amamos alguém quando a importância de suas necessidades e desejos sobe para o nível dos nossos. (Gordon Livingston)


Nosso desejo de autopreservação é forte, portanto nós sabemos que é amor quando somos capazes de considerar nos sacrificar para a outra pessoa. Não há muitas pessoas pelas quais eu daria a minha vida. Na verdade, é uma lista muito curta - daria a vida pelo meu filho, por exemplo. O meu vizinho, definitivamente, não está nesta lista. Eu não estou me referindo apenas à palavras floridas e sim a ações, demonstrações. Mostramos às pessoas que nós os amamos em todas as nossas atitudes, mesmo as mais banais e estamos dispostos a investir um bom tempo ao lado delas. O que eu quero mesmo dizer é que o amor é (e deve ser) demonstrado comportamentalmente. O ser humano é muito verbal e, muitas vezes, o argumento não faz jus ao produto. Enganamos a nós mesmos quando dizemos algo da boca para a fora. Ame em seus atos, não apenas em palavras.

Olhar para frente


Imagem daqui!
Se você pensa que pode ou acha que não pode, você geralmente está certo. (Henry Ford)


Esta não é uma solução rápida, a felicidade leva tempo para cultivar e, uma vez que você tem isso, é improvável que volte a ser como era antes. Pessimistas, muitas vezes, se referem a si mesmos como realistas e possuem uma visão bastante cínica em relação à vida, bem como às pessoas e eles raramente são decepcionados. Eles validam essa visão por causa das suas próprias experiências passadas de perda e de "dores de cabeça". As memórias são, muitas vezes, apenas distorcidas histórias que nos contaram sobre determinados acontecimentos.

Normalmente, quando alguém está disposto a ser feliz, realmente o são apenas praticando a liberação de sentimentos como: ansiedade, raiva, vazio, etc. Uma boa pergunta para avaliar se alguém sofre com esses sentimentos é pedir-lhe o seguinte: "O que você anseia para este fim de semana?"

Aqueles que são oprimidos pela desesperança ou infelicidade, muitas vezes, não têm resposta. Então, pergunte-se agora:

O que EU anseio para este fim de semana?


Pense bem sobre a sua resposta. Pense em pelo menos quatro coisas que você pode planejar (olhar para frente). Eu não me importo se você disser: ver televisão quando chegar em casa, ler o jornal que será entregue no sábado de manhã, dormir até mais tarde ou aproveitar que as crianças irão dormir na casa da avó neste fim de semana. É importante apenas ter algo para olhar para frente.

No mundo real: um diário de gratidão é uma maneira maravilhosa de começar!
Leanne conta aqui um pouco da sua experiência:

Comecei um no ano passado, um mês antes do feriado de Ação de Graças. Cada dia eu escrevia dez coisas que eu estava grata. No começo eu agradecia pelas mesmas coisas de sempre: minha saúde, minha família e a deliciosa sobremesa após o jantar.

Cerca de dez dias depois, comecei a agradecer por coisas que eu anteriormente tinha como certas como: meu carro, minha capacidade de ouvir os sons e as duas mãos que eu uso para escrever.

Então, algo incrível aconteceu! Quinze dias depois, comecei a ser grata por coisas que eu desprezava sempre, coisas que não passavam pela minha cabeça: o colega de trabalho com mania de limpeza que metia o nariz para cheirar e verificar se as xícaras de café estavam realmente limpas todas as manhãs, a música heavy metal e as nuvens que anunciavam tempestade.

Este simples exercício teve um impacto incrível na minha vida. Todas as "coisas" que eu já odiava, agora eu estava feliz por ter sido exposta a elas para que eu pudesse apreciar o que eu tenho na minha vida agora. Todas as mágoas do passado - Puft - se foram! Dores de cabeça - Vupt! Medo? Te vejo mais tarde.

Lembre-se, a felicidade é apenas uma atitude que escolhemos adotar, se olharmos para frente para fazer as coisas que gostamos, com as pessoas que amamos.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Organize sua mente!

Postado por Mila Viegas às 06:30 2 comentários
Imagem daqui!

Se desordem é sinônimo de acumulação enervante de coisas, organização significa jogar fora aquilo que não precisamos - incluindo objetos, pensamentos e até mesmo distrações. Por isso, tenha foco, simplifique, "desentulhe"!

Desentulhar seu espaço físico pode ter um efeito surpreendente na elevação do seu humor. Especialistas em Feng Shui afirmam que edifícios e lojas de móveis guardam as memórias de acontecimentos na forma de energia e que o ato de desentulhar é capaz de limpar essa energia do histórico de eventos traumáticos. Porém, independente da teoria usada para explicar certas sensações, ninguém que já tenha se dedicado à tarefa de desentulhar um cômodo e torná-lo organizado, pode negar os benefícios positivos do aumento no espaço físico daquele ambiente.

Por outro lado, o ato de retirar o que não serve mais e colocar as coisas em seus devidos lugares também pode ter um efeito catártico sobre as pessoas. Quando deixamos ir embora aqueles objetos os quais fomos apegados por um longo tempo, muitas vezes, estamos deixando ir as memórias emocionais que estavam arraigadas neles (mesmo de forma inconsciente) e, assim, exterminando a desordem física você também libera espaço na sua mente e em seu coração, além de liberar o espaço físico da sua casa.

Mas o que tudo isso quer dizer?

A desordem não é apenas física. É possível que haja também desordem mental e emocional bloqueando o fluxo de energia em nossas vidas e limpar tudo isso garante melhorias em nosso bem-estar numa visão holística. Exemplos:

  • Tarefas que desistimos de executar e ficam inacabadas, deixadas num canto;
  • Pessoas e/ou atividades que drenam nossa energia;
  • Mágoas;
  • Encher sua agenda com atividades que você se sente obrigado a fazer e, com isso, não consegue dedicar tempo para alimentar o espírito e reenergizar seu corpo.
É fato que esta lista é bem extensa e ficaríamos o dia todo listando situações que nos desgastam tanto física quanto emocionalmente. Então, que tal algumas dicas para lidar com tudo isso?

Desentulhando a casa


Imagem daqui!
  • Olhe para a sua casa e identifique as áreas que precisam ser desentulhadas. Divida-as em pequenas tarefas que podem ser executadas ao longo de um período de tempo, ao invés de transformá-las em um grande projeto a ser feito em apenas um dia. Comece pequeno se dedicando a um local todos os dias e mantenha a organização nestas áreas para evitar que voltem a ser como antes.
  • Vá até cada objeto e se faça as seguintes perguntas: Eu amo isso? Eu preciso disso? Posso dar utilidade a isso? Se você responder "sim" em qualquer um desses questionamentos, o objeto permanece. Se responder "não" para todos, então é hora de se livrar deles.
  • Organize quatro caixas (ou sacolas): Guardar, Reciclar (reutilizar), Doar e Lixo. Assim que preparar tudo, retire os itens que não ficarão com você e, de imediato, entregue-os ao seu novo destino.
  • Uma vez que consiga completar as tarefas acima, evite um novo acúmulo sempre desentulhando o que for preciso, limpando por períodos curtos de tempo e várias vezes dentro de uma rotina que melhor se encaixa ao seu estilo de vida.
Imagem daqui!
Desentulhando a mente:

  • Faça uma lista de tudo o que você tem procrastinado e se pergunte por que você precisa se livrar disso. O que você pode resolver e o que você pode deixar ir? Quando há clareza sobre o que, definitivamente, deve ser feito, trace uma meta para conseguir concluí-lo.
  • Pare de se preocupar. Preocupação não é construtivo - não vai ajudar a resolver a situação que te preocupa e esse sentimento pode destruir a sua capacidade de desfrutar o presente. Quando surgir um pensamento inquietante, anule-o de imediato e diga a si mesmo que "tudo está caminhando para ficar bem...". Foque sua energia naquilo que você gostaria que acontecesse. Foque no resultado e não no processo.
  • Evite fazer promessas ou assumir compromissos dos quais sabe que não irá cumprir. Isso drena a sua energia.
  • Deixe de lado a raiva e perdoe. Quando alguém te machuca muito, sentir raiva é uma reação normal, assim como não é cogitado o perdão. Mas raiva faz mal à saúde, tanto física quanto emocional, por isso você precisa se livrar dela e perdoar o outro. Perdoá-los não significa que você tenha que recebê-los de volta em sua vida de braços abertos, e sim apenas deixar ir os sentimentos negativos daquilo que fizeram para você. Talvez o outro não mereça o perdão, mas você merece seguir em frente e deixar a dor para trás.
  • Diga não às pessoas e atividades que te colocam para baixo. Em vez disso, cerque-se de pessoas que possam edificá-lo e faça coisas das quais se sinta bem! 
Desenvolver hábitos que te livrem da desordem em todos os aspectos da sua vida fará com que desfrute de um fluxo de energias positivas constantes.

Inspirado em Life Organizers.


terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

5 Dicas para manter a energia no ato de organizar.

Postado por Mila Viegas às 07:00 2 comentários
Às vezes só de pensar em ter que organizar a casa ou um cômodo já nos deixa desanimados. Mas, não tem jeito e não vale muito a pena protelar. Neste caso, respire fundo e enfrente o desafio... Coloque uma boa música, arregace as mangas e parta para a ação.

A ideia de se organizar suga a sua energia? Não precisa ser assim. Aqui vão cinco dicas "energizantes" para você não desanimar e transformar todo esse trabalho em algo mais prazeroso.

  1. Respire fundo. Se sentir sobrecarregado apenas observando a desordem é uma das maiores desculpas para não começar. Respire fundo e se concentre em uma pequena área. Uma vez que consiga dar conta desse espaço, se sentirá motivado para se dedicar à organização do resto.
  2. Galinha ou coruja? Não há dúvidas sobre isso: organizar sua casa ou seu local de trabalho demanda tempo e energia. É por isso que você precisa conhecer quando o seu nível de energia se encontra no pico. Se você acorda com as galinhas, geralmente, o seu nível de energia é muito alto pela manhã, então o seu melhor momento para organizar as coisas é neste horário. Agora, se você tem mais energia durante à noite, use esse período para executar as tarefas.
  3. Conheça seus limites. Algumas pessoas preferem trabalhar em longas sessões, em ritmo de maratona. Se dedicam à um espaço e trabalham nele durante o tempo que for preciso. Outras, só "funcionam" em pequenos intervalos de tempo (de 15 minutos à 01 hora). O que importa não é a quantidade e sim a qualidade. Portanto, determine os seus limites e defina a sua melhor estratégia de horários para a organização.
  4. Coma de forma saudável, descanse o suficiente. Não fazer refeições nutritivas regularmente e/ou não dormir o suficiente contribui para o desânimo... Você se sente em marcha lenta e desorientado. A maioria das pessoas precisa de 03 refeições nutritivas por dia (fique longe de alimentos que podem te deixar sonolento) e necessitam de, pelo menos, 07 horas de sono por noite ou até mais. Você vai se surpreender do quanto estará disposto para fazer as coisas se conciliar esses dois fatores: comer bem e respeitar os momentos de descanso.
  5. Ligue o som! Ouvir músicas alegres e otimistas quando você está organizando a casa pode te manter em estado de alerta. Mas, não coloque o som muito alto para não se distrair com ele. Prefira música ambiente, deixe que os acordes sirvam como pano de fundo, uma trilha sonora no volume exato para que a energia possa fluir e tornar o momento mais produtivo.
Boas energias para você!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Limpando com limão.

Postado por Mila Viegas às 06:00 0 comentários

O limão tem um aroma refrescante e seu ácido tem propriedades anti-sépticas, tornando-se uma solução natural para as tarefas da sua casa. É possível economizar dinheiro usando essa fruta cítrica para substituir produtos de limpeza que são caros.

  • Tirar o cheiro do microondas. Encha uma tigela (resistente ao calor) com água e metade de um limão e programe 05 minutos;
  • Tirar manchas. Adicione 1/2 xícara de suco de limão para a lavagens de roupas brancas, em seguida, deixe secar ao sol.
  • Lustrar móveis. Se for envernizado: adicione algumas gotas de limão para 1/2 xícara de água quente. Pulverizar sobre uma flanela levemente umedecida e limpe os móveis. Se não for envernizada: misture 2 colheres de chá de azeite e suco de limão. Aplique numa flanela e distribua no móvel uniformemente.
  • Limpar banheiro. Coloque suco de limão em uma esponja e limpe o box. Isso remove aquelas espumas de sabão e shampoo que ficam grudados ali com o tempo.
  • Dar brilho. O limão também limpa latão e cobre. Polvilhe sal sobre a metade de um limão, esfregue-a sobre o metal e, em seguida, lave.
Até mais!




domingo, 5 de fevereiro de 2012

Bom domingo :)

Postado por Mila Viegas às 05:00 0 comentários

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Sábado Craft - Vaso com fios.

Postado por Mila Viegas às 07:30 1 comentários
Vi esse passo-a-passo no site all you e vou traduzi-lo aqui (adaptar né? rs):

Você vai precisar de:
  • Cola (pode ser cola quente ou cola para lantejoulas - depende do que for escolher para decorar)
  • Fio
  • Um copo, jarra, garrafa, o recipiente que quiser.
  • Tesoura
  • Contas, botões ou lantejoulas
  1. Use a cola para aderir uma extremidade do novelo no vidro (aqui acho melhor que seja cola quente).
  2. Contorne o vidro com o fio tomando cuidado para não sobrepor.
  3. Quando você cobriu até a parte que quis, corte os fios e preta a outra extremidade com cola.
  4. Decore o vaso com uma fita ou use cola para aderir as contas, botões ou lantejoulas, conforme desejado.



sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Sexta Craft - Corujinha.

Postado por Mila Viegas às 06:00 0 comentários
Ela pode ser um peso de porta, almofada ou servir apenas para decorar. Gosta de corujinhas? Então se joga nesse passo-a-passo publicado pela Woman's Day. É só clicar aqui!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Volta às aulas...

Postado por Mila Viegas às 12:10 2 comentários
Imagem daqui!
Deixa eu contar um pouco do meu trabalho fora de casa para vocês, afinal o ano letivo começou ontem e já pude sentir uma parte do que será 2012.

Sou Bióloga, professora de Ciências Naturais e Biológicas, atuando nas séries do Ensino Fundamental II, especialmente o 6º e o 8º anos. Trabalho numa escola bastante conceituada no Rio de Janeiro. Adoro o que faço, pois enquanto uns têm medo de desafios, eu transbordo de entusiasmo com eles. Confesso que, às vezes, tenho vontade de sumir (hahahahaha!), mas isso passa logo.

O primeiro dia de aula é sempre uma expectativa muito grande, tanto para nós professores quanto para os alunos. Aluno sempre fica ansioso para saber quem serão seus colegas, quais professores foram escolhidos, como será o horário e tudo o mais. Eu também acabo ficando nessa ansiedade, doida para saber os conteúdos que vou trabalhar, as turmas que serão minhas, meu cronograma e carga horária. Gente, o primeiro dia do ano letivo é uma loucura muito grande! Só quem é professor ou trabalha na área sabe do que eu estou falando.

Ontem eu cheguei super cedo (sempre chego bem antes da aula começar), com a missão de passar 03 aulas com uma turma do 6º ano e 02 com uma turma do 8º. Deixa eu abrir uma pausa "explicativa" aqui: meu filho de 11 anos é meu aluno do 6º ano e é a primeira vez que dou aulas para ele (na escola, é claro!). Confesso que fiquei nervosa com isso e o dito cujo sentou na primeira carteira, colada na minha mesa, abriu um sorriso e disse: "Muito legal a mãe da gente ser professora!". Num ponto é legal porque posso acompanhar tudo bem de perto. Se alguém pensar que ele terá benefícios por conta disso, já adianto que não... A gente sabe separar as coisas, aluno é aluno e trato todos com dedicação e carinho, "puxadas de orelha" (no sentido figurado, tá gente?) quando é preciso, elogios quando se comportam. Eu sou o tipo de professor que quer que o aluno tenha sucesso, se dê bem, aprenda o máximo que puder... Em meio ao cronograma apertado, procuro transformar o conteúdo chato numa coisa legal e aí vai fluindo. Meu mantra é: "Um dia de cada vez".

Bom, como essa semana não podemos dar conteúdo (só a partir de segunda-feira), fomos instruídos a avaliar o conhecimento deles, pontuar como será o andamento das aulas... Essas coisas.

Daí pensei: Como vou fazer para uma turma de 6º ano - onde tudo é novidade e transição na vida deles - me dar a devida atenção em 03 aulas seguidas sem que haja cobrança no aprendizado? Como vou fazer para mostrar uma postura correta e deixar uma impressão boa, um astral bom circulando nesse período? Como vou prender o olhar deles, promover interação, transmitir confiança, deixá-los seguros? Como não intimidá-los?

Só posso dizer que foi um sucesso! Turma lotada, olhares distraídos, eu no "palco", meu filho experimentando um perfil diferente do que ele já conhecia em mim. Me apresentei de uma forma diferente, fiz uma brincadeira com isso... Eles descobriram o meu nome através dessa dinâmica e comecei a transferir o mesmo sistema para saber seus nomes. Falei sobre a escola, como serão as avaliações, o que espero conquistar junto com eles.

Contei uma história... Sim, vesti meu personagem de contadora de histórias e comecei dizendo que num reino muito, mas muito distante havia um rei muito criativo e bla bla bla. A história promoveu a reflexão da importância de caminharmos juntos rumo a um objetivo. Eles entenderam... interferiram, acrescentaram mais criatividade na narrativa.

Por último, pedi que escrevessem em dois pedaços de papel a respeito das problemáticas ambientais e possíveis soluções. Num papel eles escreveram o problema, e no outro a solução ou o comportamento adequado que nós, seres humanos, precisamos ter com o planeta. Reuni todos os "bilhetes" e brincamos de CERTO-ERRADO. Pedi que eles ficassem de pé ao lado da carteira e a cada frase que eu sorteasse, se fosse um problema deveriam se sentar, se fosse uma solução deveriam ficar de pé.

Me surpreendi com a consciência ecológica deles e pude avaliar seus pensamentos em relação à temática.. Mas, além disso, demos muitas gargalhadas juntos. Se houve momentos de tédio, foram poucos. Ao final, vê-los sair para o recreio com um sorriso no rosto foi a melhor recompensa que pude receber nesse início. É uma vitória conseguir liderar uma turma lotada de pré-adolescentes nos dias de hoje. Isso me motiva, me realiza e me faz querer ser melhor.

Ideias para o Craft Room!

Postado por Mila Viegas às 07:00 0 comentários
1. House to Home; 2. House to Home; 3. e 4. Joy Frameworks 5. The Mother Huddle (tem passo-a-passo)

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Por que é tão difícil se desfazer das coisas?

Postado por Mila Viegas às 06:30 0 comentários

Vira e mexe nos fazemos essa pergunta. Porém, para organizar a casa e a vida é necessário praticar o desapego. Não quero parecer radical porque cada um sabe o que é verdadeiramente importante para si, o que desejo é propor uma reflexão em conjunto... Eu daqui e vocês daí. Certo?

Vamos nos concentrar nos objetos os quais temos uma relação emocional. Primeiro precisamos compreender as emoções despertas para que possamos lidar com elas. Há objetos que, para nós, vão além da sua condição física, ou seja, desenvolvemos laços afetivos com eles. Muito bem, não quer dizer que precisamos nos desfazer de tudo, nem jogar fora o primeiro desenho que o nosso filho fez ou seu primeiro caderninho da escola. O importante é termos consciência do nosso apego e trabalhar isso da melhor forma a fim de não guardarmos tudo o que julgamos “importante”.

Uma frase que dizemos constantemente quando se trata de descartar um objeto é: “Mas foi fulano que me deu isso!”. Se você não está usando um item por muito tempo (por exemplo, há mais de um ano que você nem toca nele), é um indicador claro de que ele precisa ir. Se não há lugar para guardá-lo e/ou não há necessidade que o faça, desfaça-se dele vendendo, doando, trocando, etc.

Às vezes, julgamos um objeto com insubstituível. Exemplo: artigos artesanais, desenhos dos filhos. Porém, se você tem muito desses objetos, selecione os que realmente quer guardar e os que precisam ser descartados. Uma dica é organizar em pastas de plásticos transparentes os desenhos das crianças ou escolher alguns para emoldurar e decorar uma parede. Você também pode fotografar esses objetos e guardar num arquivo digital para “visitar” quando quiser.

Objetos que simbolizam um momento único da sua vida, como seu vestido de casamento ou um ingresso de um show que merece ser sempre lembrado, podem parecer significativos, assim jogá-los fora ou nos livrarmos deles nos dá a sensação de que ficará um vazio imenso em nossa vida ou o que está indo embora é um pedaço de nós mesmos. É importante lembrar que o objeto não é uma parte da nossa história pessoal. Na realidade, é apenas um objeto, ocupando espaço. Seu significado está em nossa mente e pode continuar lá... É a memória que é importante, não o item em si. Você, provavelmente, tem fotos lindas usando o seu vestido de casamento e, talvez, tenha fotografado o show que tanto curtiu. A lembrança está aí e, provavelmente, muito mais interessante do que ter o objeto em si.

Acreditar que, em algum momento futuro, você pode precisar de algum objeto que tem a intenção de se livrar, é um erro constante. Guardar roupas que não cabem mais acreditando que vai emagrecer para usá-las novamente, é um exemplo clássico. Toda vez que você se ouvir dizendo a palavra “pode”, é melhor parar e avaliar o contexto. “Pode” é um código para “eu nunca vou usar isso”.
Objetos que também são problemáticos no ciclo do “pode” são os livros e periódicos. Separe os que realmente são importantes e fique com eles. Uma dica é manter um “diário de leitura” em relação aos livros. Anote o título e a data em que foi consultado pela última vez e verifique com que constância você o solicita. Aqueles que há tempos você não consulta podem ser trocados por outros mais interessantes para o momento atual da sua vida ou vendidos, doados.
Em relação a revistas, eu tinha algumas de dez anos atrás, muitas de decoração. Andei folheando-as para ver se ainda existia alguma ideia aproveitável, mas a maioria já estava obsoleta, acumulando poeira e espaço na minha casa.

Nós também temos a síndrome de achar certos objetos lindos e atraentes. Geralmente, esses objetos são bugigangas ou itens realmente bonitos, mas que não vamos usá-los por diversos motivos. Os itens que você usa pelo menos uma vez por ano, como é o caso de artigos de decoração natalina merecem ser guardados. O mundo está cheio de objetos lindos, mas eles não podem viver em nossas gavetas.

Traçando Estratégias

Faça um cronograma. “Destralhar” a casa é como fazer dieta, é preciso um pouco de tempo para ver os resultados. Se você pretende gastar 12 semanas limpando sua casa, defina os cômodos que serão limpos e organizados por semana. Você pode investir tempo nos quartos dispondo de 4 horas/semana para cada um deles, se sua cada não estiver muito entulhada de coisas. Porões, sótãos e garagens podem levar 8 horas +ou-. Se você tem uma tonelada de lixo, certamente precisará de mais tempo. Mas não se esqueça de separar algumas horas por semana para cuidar de você e de outros compromissos nessas 12 semanas.

Prepare-se. “Destralhar” desperta nossa bagagem emocional. Prepare-se para ter uma pequena conversa interna sobre como lidar com esse processo de se desfazer de coisas que atribui valor sentimental. Uma dica: Antes de começar o processo não perca seu tempo pensando sobre itens específicos, para aqueles que têm dificuldades em tomar decisões é recomendado não pensar em coisas demais. Se você está se sentimento emocionalmente sobrecarregado, chame um amigo.

Acertar o relógio. Para agilizar e se manter em movimento, use um timer e o programe para despertar a cada 2 horas. Se concentre no tempo e se esforce para trabalhar com ele. O objetivo é progredir e não chegar à perfeição. Se você trabalhou por 01 hora e deseja fazer uma pausa, ajuste o timer para 10 ou 15 minutos e depois volte ao trabalho.

Obter três sacos de lixo. Podemos usar caixas também. Você vai precisar de três sacos ou caixas em todos os momentos: um para coisas que você vai jogar fora, um para doar itens e um para itens que você não tem certeza. Quando os sacos ou caixas estiverem cheios, levá-los para fora do local (ex. Quarto)... Você começa a ver que tem mais espaço e sente como se realmente estivesse realizando algo.

Criar regras de “Sim-Não” Em vez de considerar cada item em profundidade, estabeleça 5 segundos para tomar uma decisão em relação a eles, especialmente se forem objetos fáceis de lidar. Se você não tem usado tal item recentemente, é jogado fora ou doado. Se tem usado regularmente, guarde-o. Não se deve atrasar a decisão, é preciso ser rápido e dizer “sim” ou “não”. Se realmente não tiver certeza, é aconselhado deixar o(s) objeto(s) no saco ou na caixa com uma etiqueta “Não tenho certeza” e armazená-los na garagem ou em um local fora de casa. E lembre-se: os sacos ou caixas devem conter no máximo 5% dos itens que você está classificando.

*Adaptado de Confronting Your Clutter Conundrums by Arianne Cohen.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Assine a petição!

 

Diário de uma bagunceira ;) Copyright © 2011 Design by Ipietoon Blogger Template | web hosting