terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Em tempo real...

Postado por Mila Viegas às 13:11 0 comentários
O título quer sugerir que esse post está sendo digitado agora e publicado automaticamente. Peraí que eu explico: para conseguir certa constância nas publicações do blog eu preciso programar as postagens. Então, nem sempre estarei no computador no momento em que cada post foi ao ar, sacou?

Então hoje, no meu último dia de pseudo férias, não estou a fim de fazer nada produtivo para a humanidade. Acordei mega cedo pensando em voltar a dormir, mas o estômago gritou de fome, os cachorros balançaram o rabo de felicidade em me ver (mentira, queriam mesmo era sair para fazer xixi), um big cavalo entrou no terreno aqui de casa na calada da noite (ainda está aqui "brincando" de empurrar o balanço amarrado numa árvore). Para não perder o costume - já que eu estava acordada mesmo - coloquei roupas para lavar, incluindo os meus jalecos do trabalho que estavam aguardando um banho de sabão em pó há tempos.

Tomei café. Pro almoço, fiquei com preguiça de esquentar a comida que já estava pronta na geladeira e descobri duas salsichas no congelador. Taquei as "suculentas" na panela e misturei com molho de pizza mesmo para não dar trabalho, por coincidência tinha dois pãezinhos "dorminhocos" no saco de pão e o casamento foi perfeito (embora tenha sido nas coxas).

Porém, enquanto descanso quebro pedra. Estou em ritmo de volta às aulas e pesquisando conteúdos interessantes para os meus alunos que ainda não sei quem são. Amanhã descobrirei os meus companheiros de jornada pedagógica assim que o sinal tocar e a correria desenfreada subir as rampas do colégio. Imagino a minha cara de sono e a algazarra fazendo "plim" no meu relógio biológico deixando-me super consciente de que 2012 começará naquele instante. Já tenho planos para o carnaval: dormir!

Apesar de tudo, estou super animada com o meu trabalho este ano (não é deboche! rs). Gosto dessa sensação de desafio quando é preciso liderar uma sala de aula cheia de adolescentes. Alguns, descobrindo que já saíram da infância e outros totalmente conscientes disso.

Aqui no "Diário..." tenho focado nessa questão de organização da vida em casa e tudo o mais, mas ser organizado vai muito além disso... Vai anos luz além de desenvolver a síndrome de Monk (aliás não tenho a pretensão de me tornar neurótica). Por isso, é importante focar na ordem para cumprir prazos e desenvolver melhores estratégias para ser bem sucedido em cada planejamento (seja pessoal, profissional, etc.). Dar o melhor de si não significa, necessariamente, abrir mão do descanso e das coisas "leves" da vida. Faz parte =)

Amanhã é o dia em que sairei da minha zona de conforto e experimentarei vários momentos em que a magia da vida acontece. Está aberta a temporada de trabalho!

03 regras para ir da desorganização à tranquilidade.

Postado por Mila Viegas às 07:30 0 comentários
Pesquisando formas de conseguir manter os espaços da minha casa livres de tralhas e poluição visual, encontrei 03 dicas simples, mas que fazem toda diferença.

Fran Harris diz que não há necessidade de nos tornarmos neuróticas com a ideia de nos organizarmos (Será?? rs). Eis as suas dicas:

#Regra 01: Cada coisa em seu lugar
O lugar dos jornais não é em cima da geladeira ou no chão da porta da frente. Brincos não pertencem ao balcão ao lado do fogão. Decida o local apropriado para as coisas e comece a colocá-las lá neste momento!

#Regra 02: Coloque as coisas em seu lugar imediatamente (Regra do Sorvete)
Se você andar em sua casa com um litro de sorvete, com certeza não vai deixá-lo fora da geladeira por uma hora, não é? Ou você o coloca no freezer agora ou vai se arrepender depois. Aplique a "Regra do Sorvete" para tudo em sua casa e na sua vida. Fazendo isso você minimiza a probabilidade de criar um espaço desordenado.

#Regra 03: Alertando a "tropa"
Certifique-se que todos na casa sabem sobre o novo sistema de organização para que seu esforço e compromisso não sejam em vão. Pode demorar um pouco para que isso funcione, mas não se preocupe Quando as pessoas veem o quanto a casa vai ficando mais tranquila e organizada, elas vão aderindo ao sistema.

E lembre-se: organizar sua casa não é algo que acontece da noite para o dia. É provável que seja um processo contínuo. Comece hoje com um objetivo pequeno como limpar aquela gaveta onde você entulha tralhas (todo mundo tem uma!) e depois parta para projetos maiores.

Divirta-se!

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

The Land of Nod - Para organizar!

Postado por Mila Viegas às 06:00 0 comentários
Estou apaixonada por esta loja: The Land of Nod (citei num outro post). Dá uma olhada nos móveis fofos que ajudam a organizar e embelezar o ambiente:

Um cantinho para guardar bugigangas craft. Que tal, hein?

Brinquedos organizados! Sonho!

Um lavabo que é puro charme.

2 em 1. Banquinho mega versátil!

Livros e brinquedos num só lugar.

Mais uma ideia para um cantinho craft. Eu quero!

domingo, 29 de janeiro de 2012

Bom domingo :)

Postado por Mila Viegas às 07:00 0 comentários

sábado, 28 de janeiro de 2012

Sábado Craft - Reaproveite!

Postado por Mila Viegas às 06:00 0 comentários
Muita gente usa o termo "reciclagem" de forma errada. Quando você reutiliza algum objeto você não está reciclando nada e sim "reaproveitando" ou "reutilizando" mesmo. Mas ok, para saber melhor a respeito disso basta dar uma pesquisada no Google.

Hoje eu vim para mostrar esse passo-a-passo super bacana que qualquer pessoa pode fazer. Basta uma latinha de atum (vazia é claro), alguns pregadores de roupas e o resto fica por conta da sua criatividade.


Bom findi!



sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Sexta Craft - Faça você mesmo!

Postado por Mila Viegas às 07:00 0 comentários

Fofura para você mesma fazer.
Quer tentar?

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

"Sua casa se parece com você?"

Postado por Mila Viegas às 14:59 0 comentários
Essa foi a pergunta que a Casa Claudia de dezembro/2007 fez aos seus leitores, propondo reflexão e auxiliando-os com um roteiro de dicas valiosas dadas por diversos especialistas. E qual é o segredo? Simples: aprender a identificar o que você gosta com o intuito de promover segurança e confiança para mostrar suas preferências na decoração. A filosofa e escritora Viviane Mosé ensina: "A casa precisa ter objetos queridos, paredes com imagens que você aprecia, os filmes e as músicas que o alegram e o fazem pensar".

Eis as dicas:

Reflita sobre como prefere viver
"Você se sente melhor em espaços abertos ou intimistas, bem iluminados ou mais escuros, de visual limpo ou cheio de detalhes? Esse tipo de pergunta estabelece eixos para você montar sua casa", diz Viviane Mosé.

Crie um arquivo de referências
Colecionar imagens de ambientes, móveis e objetos que lhe agradam ajuda a elaborar seu espaço.

Cultive um repertório visual
"Ir a cinema, teatro, museus e galerias, além de exposições de decoração, é uma oportunidade para exercitar seu gosto. Quanto mais coisas você vê, mais facilmente identifica o que lhe emociona", diz o estilista Dudu Bertholini. O conhecimento adquirido nessas experiências naturalmente irá refinar suas escolhas.

Valorize sua história
"A casa hoje é uma espécie de autobiografia dos moradores", afirma o sociólogo italiano Francesco Morace. Para colocar as memórias em evidência, resgate móveis de família e exponha lembranças de viagem.

Use suas coisas arrumadas do seu jeito
Não deixe os melhores vasos, talheres, louças e castiçais fechados no armário, à espera de uma ocasião especial. Se eles são preciosos para você, estreite a conveniência e empregue-os no dia-a-dia. É importante ainda que a forma de dispor esses e outros itens pela casa tenha a sua mão.

Mude quando sentir vontade
Ao olhar ao redor e perceber que a decoração não reflete mais o seu momento, é hora de agir. "Mas sem jogar sua história fora e recomeçar do zero", sugere a arquiteta Lúcia Carvalho. Trocar poucas peças e modificar a distribuição dos móveis já produz um grande efeito.

Saiba expor seus desejos
Caso conte com os serviços de um arquiteto de interiores ou decorador, converse bastante com ele, procurando esclarecer ao máximo como você quer sua casa.

Fonte: Casa Claudia/ano 31 - Dezembro/2007

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

É devagar... é devagar... é devagar... é devagar, devagarinho...

Postado por Mila Viegas às 11:09 1 comentários
Oi gente!

Estou com uma sensação meio claustrofóbica em vários sentidos. Acho que um deles é porque minhas férias estão acabando e vai me dando aquele frio na barriga a espera de muitas segundas-feira mal resolvidas (sofro por antecipação!) e também (com certeza!) pela eterna organização/arrumação/limpeza desta casa monstro. Quanto mais se "ajeita" mais aparece tralha. #Tô ficando neurótica com isso?#

Meu umbigo está arrepiado de tanto arear panela. Minhas unhas estão um caco de tanto esfregar bombril. Minha coluna me lembra que existe todas as noites quando estico minha carcaça na cama. E quanto mais me deparo com receitas de organização e ambientes mega organizados vai me dando uma gastura, uma gastrite que daqui a pouco vira úlcera (vira essa boca pra lá!).

Daí fico aqui trabalhando a minha mente: "Foco, foco, foco!"... É essa a frase repetitiva e exclamativa que sempre falo para os meus alunos quando eles não estão nem um pouco a fim de prestar atenção em mim e nas mil maravilhas das ciências naturais que me disponho a ensinar. "Foco, gente!". Já fizeram até piadinhas com isso... haha... daqui a pouco vira um funk bem brabo... Fo, fo, foco... Fo, fo, fo, fo, foco. (credo!).

Mas, então! As palavras são muito claras, Não adianta querer mudar de hábitos se não existe comprometimento. Tem horas que sinto vontade de mandar o tal "comprometimento" para um lugar bem feio e fedorento. "Sr. Comprometimento, e se hoje eu não estiver a fim?". Por acaso já me perguntaram se eu estou com a minha disposição ligada no 220?

Ok! Já resolvi bastante coisa por aqui, neste ninho de mafagafos, mas não posso cantar vitória antes do tempo. Há ainda muitos mafagafinhos perdidos no buraco negro da casa monstro. Acho que o segredo para se tornar uma pessoa organizada é não se cansar (como?), porque se você resolver colocar tudo em ordem em apenas um dia é mais fácil se matar. Por outro lado, essa proposta (muito válida por sinal) de dedicar um pouquinho do seu tempo todos os dias dá uma angústia danada - você sempre acha que pode fazer mais e mais (aí se mata!). No dia seguinte você está um caco humano... Um urso panda sem direito ao seu quinhão de bambu. Tem que ter perseverança, amiga!

Enquanto isso eu tô devagar, devagarinho e... sempre!
(Tô lavando roupa suja... kkkkk)

Ideias para o lavabo.

Postado por Mila Viegas às 10:32 0 comentários
A pior coisa que tem é ir ao banheiro e descobrir que não tem papel higiênico. Eis algumas soluções para deixar seu lavabo charmoso e não deixar suas visitas na mão (e você também, né? rs):


  1. A place for everythig
  2. Vijako - Etsy
  3. Kathryn Leach Home


terça-feira, 24 de janeiro de 2012

5 ideias para organizar seus livros.

Postado por Mila Viegas às 19:54 0 comentários
Amo livros e, por isso, tenho vários. Consequentemente, a bagunceira que vos escreve tem uma dificuldade louca em organizá-los. Por isso, separei algumas ideias para nos ajudar a criar espaços super bacanas, criativos e práticos.


  1. Criado para um quarto infantil, mas você pode usar onde a sua imaginação permitir. Ideia da Architecturs que também mostra outras ideias de organizadores fofos. Acho bom conferir!
  2. Ideia da Modern Minimals, que também traz outros ambientes muito legais para se inspirar.
  3. Muito criativa a ideia da Country Living que também ensina a transformar objetos comuns.
  4. A Curbly propõe algo simples, mas muito funcional.
  5. Ideia da Jen Loves Kev. Ideal para revistas também!


15 dicas para "desentulhar" a casa.

Postado por Mila Viegas às 12:21 0 comentários
É o famoso "declutter", ou seja, se livrar da desordem. Sem muito papo, vamos as dicas:

  1. "Declutter" por 15 minutos todos os dias. É realmente incrível o que você pode fazer em 15 minutos.
  2. Não traga coisas novas para a sua casa. Se você começou o processo de "declutter" da casa ou acabou de completá-lo, pare de trazer coisas novas AGORA. Mas se for muito difícil conter o impulso consumista, a sua atenção não deve estar voltada para desentulhar e sim para lidar com o consumo desenfreado. Resolva isso primeiro e só depois comece o "declutter", pois você só pode estabelecer um hábito de cada vez. Assim, quando você começa a fazer o "declutter" do material já existente em sua casa, você já parou de fazer o pior: comprar, comprar e comprar.
  3. Doar itens que você está desentulhando para não se sentir mal por desperdiçá-los.
  4. Criar um cronograma de metas incluindo o "declutter" nele. Pode ser todos os dias ou 3 vezes por semana. Estabeleça os dias em que você vai se dedicar ao "declutter". Isso trará a sensação de realização pelas tarefas cumpridas.
  5. Comece pelo canto próximo a porta e siga em direção ao cômodo, fazendo as coisas superficiais primeiro - desentulhar as superfícies de móveis, esvaziar lixeiras, etc. Repita o processo dando atenção a outros compartimentos mais "complexos", por exemplo, abrir as gavetas.
  6. Sempre que você estiver fazendo o café, arrume a cozinha. Se a cozinha já está arrumada, limpe ou organize algum cômodo próximo. São apenas 3 minutos que fazem verdadeiros milagres.
  7. Use a regra "um dentro, dois fora". Sempre que você trouxer um item para dentro de casa, você tem que se desfazer de dois outros itens. Não adianta se enganar jogando fora dois pedaços de papel porque logo você se verá obrigada a se desfazer de objetos maiores.
  8. Crie espaços de armazenamentos menores e com o mínimo de coisas. Se você tiver muitos espaços para armazenar, não vai resistir em entulhar de coisas que você pensa que vai usar.
  9. Regra das roupas. Venda ou doe roupas que você não usa há seis meses ou mais.
  10. A caixa de "01 ano". Há objetos que você ainda está em dúvida sobre se desfazer, aqueles que você acha que pode "precisar um dia"... Coloque-os numa caixa, lacre-os e escreva uma etiqueta com a data. Se após 01 ano você não abriu a caixa e nem precisou de nada que esteja lá dentro, ela deve ser doada ainda lacrada. Provavelmente você nem vai se lembrar do que tinha lá dentro.
  11. "Declutter" um quarto (incluindo armários, mesas, gavetas, cômodas, etc.), antes de passar para o próximo cômodo. Com o passar do tempo o espaço vai ficando tão bom que será super fácil mantê-lo limpo e organizado. Isso te motivará a fazer mais!
  12. Faça uma lista de planejamentos com o título "Não preciso disso - Não quero isso". Quando você estiver fazendo compras e considerar a possibilidade de adquirir algum item que você deseja ou der de cara com uma promoção "imperdível", anote-o na lista e pense se realmente precisa dele, se realmente o quer. Isso retardará a compra e você poderá refletir melhor a respeito da aquisição. Em um momento posterior, rever essa listagem ajudará a ter clareza das coisas que você quase comprou por impulso.
  13. Compreender que o seu valor não está nas "coisas". São apenas "coisas". Seu valor aumenta quando você se dispõe a compartilhá-las. Acumular coisas é um ato egoísta.
  14. Ter alguém (de confiança) para ajudá-lo a passar por este processo. Quem está de fora não tem o apego emocional que você pode ter, mas ainda pode reconhecer a necessidade de guardar algo.
  15. Presenteie. Livros que você já leu podem ser doados para bibliotecas, amigos, família. Se você comprar um jogo novo, doe o antigo.
Deixa eu fazer um comentário sobre o item 10. Em uma das minhas mudanças de residência, uma caixa foi perdida. Não sei se caiu do caminhão ou se ficou dentro do caminhão... Enfim... sumiu! Só me lembro de 1 objeto que tinha dentro dela, por isso que dei falta da caixa. Era um objeto decorativo e acredito que os demais também. Sorte que não foi uma caixa com artigos importantes. Essa é uma prova de que temos coisas que, verdadeiramente, não nos faz falta e só servem para entulhar a casa.

Ahhhh... as flores!

Postado por Mila Viegas às 06:00 0 comentários
Ultimamente quando penso em flores lembro daquela música: "As flores do jardim da minha casa morreram todas com saudades de você... " (A letra é essa mesmo?!). Pois é! Tem gente que tem dificuldades em cultivar flores naturais para alegrar o ambiente familiar, mas isso não é desculpa para ficar sem elas. Sente só essa seleção de fofuras florais:



Inspirou?!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Deu branco!

Postado por Mila Viegas às 12:42 0 comentários
Estamos reformando uma cômoda (falta um bocado ainda) e ainda não sabemos se a deixaremos toda branca mesmo ou se adicionaremos alguma cor. Enfim...

Ambientes brancos para inspirar:


Essas cômodas são da loja The Land of Nod. Tem móveis e ambientes muito bacanas por lá e dá para trabalhar em muitas ideias. A minha cômoda é parecida com essa da direita.


Ambientes da Ghoofie Design


Sala de estar da Coastal Living

Inspire-se!




sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Flores para colorir o "findi".

Postado por Mila Viegas às 07:30 0 comentários
Sexta-feira, feriado no Rio de Janeiro, maridão em casa, eu e filhote de férias ainda... Bom, vamos curtir o fim de semana e, quem sabe, inventar umas modas por aqui.

Então, deixo vocês com duas imagens de parte do meu jardim para colorir o "findi".

Até!



quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Ordenar com criatividade...

Postado por Mila Viegas às 07:30 0 comentários
Se organizar objetos e miudezas em casa é um tormento para você - sobretudo se vive num espaço diminuto - veja as dicas da organizadora de espaços Cristina Papazian para que nem um grampo fique fora do lugar.

  • Acessórios para cabelos: Se não há gavetas, ponha o secador, a chapinha, as escovas e as "piranhas" em porta-talheres;
  • Bijuterias: Faltam caixas e porta-joias para todas elas? Deixe os anéis e pares de brincos guardados em forminhas de gelo e colares em porta-vassouras;
  • Bolsas: Deixe-as enfileiradas. As mais estruturadas precisam de um "recheio" (sacos de supermercado dentro de uma meia-calça velha) para que não percam a forma;
  • Cintos: Os porta-cintos são melhores do que as gavetas. Dobrados esses acessórios podem ficar marcados;
  • Lençóis e toalhas:  Empilhe tudo junto: as fronhas, o sobre-lençol e o lençol. O mesmo vale para toalhas de banho e de rosto;
  • Lingerie:  Dobre a calcinha como se fosse um envelope e guarde-a em pé. Isso economiza lugar na gaveta. Disponha os sutiãs ao lado, tentando "casar" as cores correspondentes. Biquínis devem ser arrumados da mesma maneira;
  • Produtos de limpeza: O lugar deles é na lavanderia. Faça fileiras com produtos do mesmo tipo e deixe na frente o que está sendo usado;
  • Roupas de bebê: Deixe o trocador em cima da cômoda e todo o resto em gavetas. Na primeira vão as fraldas, cremes para assaduras, bodies e calças. Na segunda, os conjuntinhos de verão. Na terceira os de inverno e, por fim, na quarta gaveta, os lençóis e toalhas.
  • Sapatos: Na falta de uma sapateira, acomode-os em caixas. As transparentes permitem visualização. As de papelão também são boas, mas atraem umidade.
Fonte: Casa e Jardim, nº 612, ano 52, Janeiro.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Brincar de colorir e ser feliz :)

Postado por Mila Viegas às 19:28 1 comentários
Hoje eu estava distraída com uns afazeres quando meu filho perguntou:

- Mãe, não tem nada pra gente pintar não?

Respondi que tinha muita coisa pra pintar, inclusive a casa (hehehe), mas essa era uma boa oportunidade da gente fazer alguma coisa juntos numa tarde tão bonita como a de hoje. Vocês não têm noção de como está o entardecer por aqui... Peraí que vou correndo dar um "click"... Pronto! Mas antes vamos mostrar nossa "arte" (rs!).







E agora...


Enquanto isso na cozinha...

Postado por Mila Viegas às 14:43 0 comentários
Ainda falta muito para organizar a cozinha do jeito que eu realmente quero. Tenho alguns planos. Mas, mesmo sem poder concretizá-los todos de uma só vez, decidi que era primordial torná-la mais acolhedora - no momento- e tentar unir elementos fofos e que me fazem lembrar de ocasiões especiais.

Vamos aos itens desse cantinho de bruxa... rsrs:

  • Na realidade eu tenho 3 caldeirões: esse maior que ganhei da minha amiga Liane, o médio que comprei em Minas Gerais (em 2003) e um menorzinho (também comprei em MG) que acabei deixando dentro do maior e servindo de apoio para o gnomo;
  • O Gnomo foi presente do meu marido em viagem super bacana que fizemos à Penedo/RJ em 2006.
  • Essa luminária de abóbora também foi presente da Liane quando nos mudamos para Teresópolis/RJ em 2010;
  • A caneca rosa de bruxa eu ganhei da minha cunhada Crica num dos meus aniversários - isso foi entre 2006 e 2009 (não lembro o ano exato mesmo! 'Cê lembra, Cris?);
  • O jogo americano foi presente da amiga Helena Luisa (acho que em 2008, não lembro exatamente). É super lindo, de palhinha e tecidinho de pimentas que eu amo;
  • O porta-treco foi presente da Glorinha (minha Miguxa) quando a visitei em novembro de 2010;
  • O aromatizador muito legal que ganhei da minha sogra no meu aniversário de 2011. O yin e yang dele se separam e você pode colocar duas velas (uma em cada) e aromas diferentes;
  • Os pires (tenho mais deles) foi o primeiro presente de casamento que ganhei. Quem deu foi a vizinha da minha mãe e eles são super lindos.
Reuni esses itens numa parte da bancada da minha cozinha e todas as vezes que olho para esse cantinho me lembro de momentos únicos e pessoas que gosto de montão. Adoro ficar na cozinha e essa também é uma forma de homenagear os amigos e resgatar lembranças boas. É tipo um "altar" improvisado... hehehe.


Esse vasinho é um dos achados que tenho para mostrar hoje. Comprei por R$ 8,90 numa loja de utilidades domésticas aqui da minha cidade... Eu queria dois, mas só tinha um :(
Ele não é tão grande como parece na foto.

Então esse foi um pedacinho da minha cozinha... Prometo mostrar mais depois.

Até!

Desorganização x FLYLady

Postado por Mila Viegas às 06:30 3 comentários

Nunca fui uma pessoa organizada. Aliás, desde pequena recebi o rótulo de bagunceira. Daí veio outros adjetivos como preguiçosa, relaxada, etc. Eu me sentia incomodada com isso. Até que vamos crescendo e deixando de nos importar com o que as pessoas pensam a nosso respeito.

Nos posts anteriores eu relatei (acreditem, de forma resumida) minhas experiências de mudança de residências. Apesar de todas as mudanças terem sido fundamentais na minha vida, o quesito organização – antes, durante e depois – sempre foi caótico e estressante.

Como dar um basta nisso e conseguir investir na minha autoestima? Como deixar de procrastinar? Como encontrar motivação para organizar minha vida? Demorei, resisti, mas no fundo sempre acabei fazendo jus a esse rótulo que me deram: bagunceira.

Pois bem!

Quando descobri o sistema FLYLady achei que aquilo tudo não era pra mim, eu não tinha a tal da força de vontade para seguir os passos, dicas e tudo o mais.  Pesquisava na internet maneiras de organizar a casa e tudo o que se possa imaginar referente ao tema. Ao invés de me animar, acontecia o contrário, eu não acreditava na minha capacidade de estabelecer ordem no recinto. Na verdade, eu estava procurando por milagres, algo que resumisse em apenas uma frase o que eu teria que fazer para mudar tudo num piscar de olhos. Caí na real.

Se você passa toda uma vida sendo desorganizada é impossível reverter isso de um dia para o outro. São hábitos. Aliás, péssimos hábitos.

Então antes de tudo, eu comecei a trabalhar a minha mente. Descobri que o tal “milagre” que eu tanto buscava existia, mas não da forma como eu imaginava. Eu vivia entre vassouras e rodos, panos de chão e baldes, lustra móveis e flanela tentando fazer algo produtivo... O maior problema é que eu me cansava horrores e não via o resultado. Conclusão: eu tinha as ferramentas só não sabia como usá-las. Sendo assim, o milagre é aprender usar as tais ferramentas.

Antes de se jogar de cabeça numa faxina, na organização da sua casa, ou seja, em algo que exija certo esforço físico e disposição, é preciso traçar as metas. Quem nunca se viu em meio a uma bagunça tremenda e afirmou com desânimo: “Não sei por onde eu começo”? Não sabemos por que não planejamos e, grosso modo, é o que o sistema FLYLady nos ajuda a entender e praticar. Isso nos deixa com um senso de organização tanto em relação à nossa casa quanto em relação aos outros setores da nossa vida. Assim, vamos descobrindo que pode ser prazeroso encarar uma limpeza e arrumação.

Hum... Entendi... Você deve estar achando que eu sou maluca, né?  Pois é, eu também pensei que devo mesmo estar ficando lélé da cuca. Mas quando você conquista uma vitória, não importa se é algo que se julgue bobo ou pequeno... Por exemplo, quando você consegue deixar a sua cozinha organizada 24horas e 07 dias na semana sem precisar muito esforço para isso, sua autoestima vai a mil e você se sente motivada, se sente capaz de fazer qualquer coisa porque descobriu que pode dar pequenos passos para grandes mudanças. Mudança de hábitos, aqueles mesmo que você odiava ter.

Ninguém está dizendo que é fácil, mas não custa experimentar. Volto a falar mais sobre isso depois, ok?

Para saber mais:

FLY Ro Brasileira (Site com traduções e adaptações do sistema FLYLady)

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

DIY - Espelho, espelho meu!

Postado por Mila Viegas às 20:00 1 comentários
Hoje peguei firme na separação das tralhas, mas podem acreditam que quanto mais eu mexo mais tralha aparece. Enfim... me deu uma vontade louca de mexer nas tintas, justamente, porque eu estava arrumando o material de pintura.

Ganhei esse espelho da minha irmã. Na realidade nem sei se era dela, só sei que estava jogado lá na casa da minha mãe. A moldura horrenda, ou melhor, a cor ridícula de madeira gasta me perseguiu por mais de 01 ano e toda vez que eu olhava pra ele pensava em pintar, encapar, fazer qualquer negócio. Esse espelho fica no meu lavabo.

Juntei a fome com a vontade de comer e decidi que de hoje ele não me escapava. Logicamente, as fotos estão péssimas (perdi minha câmera fotográfica no buraco negro da mudança) porque tirei de um celular muito do sem vergonha. Porém, o que vale é o registro por mais que pessoalmente a moldura tenha ficado bem fofa.

Não tive saco para lixar porque estava chovendo e eu não ia lá no quartinho de ferramentas pegar a tal lixa, então mandei ver por cima mesmo.

Usei tinta PVA branca para a base e tinta PVA verde cana (que não dá pra ver por causa da péssima qualidade da foto). Depois brinquei de florzinhas com tinta PVA amarelo ouro, lilás e vermelho escarlate. Falta aplicar um bom jato de verniz para conservar até eu encher o saco dessas cores e desenhos.







Prometo fotos decentes assim que eu encontrar minha câmera.

#UPDATE#

Consegui uma foto melhor porque achei a minha câmera. Tirei essa foto na varanda e o espelho refletindo a vista linda de viver!



Até mais!


Trabalhar em casa.

Postado por Mila Viegas às 10:33 2 comentários
Estava fazendo uma "limpa" nas revistas e papéis daqui de casa e me deparei com dicas valiosas para quem tem (ou quer ter) um home office.

Definir regras próprias que separam atividade pessoal da profissional é um dos primeiros passos para quem decide trabalhar em casa. Lembre-se que essa é uma mudança no estilo e na qualidade de vida também. Ao planejar um home office, leve em consideração alguns itens que podem facilitar a sua rotina, o que inclui até um estoque de materiais.

Organize-se

  • Disciplina, concentração e organização formam o trio essencial para manter o foco no resultado. Se você consegue se concentrar com música, que tal investir em um pequeno aparelho de som?
  • Regra básica: tirou qualquer peça do lugar, coloque-a de volta depois de usá-la. Bagunça é o caminho certo para se perder o foco. Por isso, dedique alguns minutos por dia para arrumar os materiais que estão fora do lugar.
  • Procure amenizar as fontes de distração. Coloque perto da mesa todo o material essencial para o trabalho. Assim, evitam-se paradas desnecessárias para procurar um livro perdido em outro cômodo, por exemplo.
  • Um frigobar no home office evita a dispersão. Você vai buscar algo na cozinha, volta pela sala de estar e se senta no sofá para assistir TV. E a ideia inicial era apenas beber água gelada...
  • Emaranhado de fiação aparente sempre compromete o visual. Pense em reservar um espaço para fundos falsos na mesa ou canaletas no rodapé para esconder qualquer indício de bagunça.
  • Deixe claro para família e amigos que sua casa, em certos horários, também é local de trabalho. Interrupções são aceitas apenas em casos urgentes.
Otimize seu tempo
  • Procure determinar um número diário de horas necessárias para cumprir as tarefas no prazo estabelecido. Crie uma rotina, seguindo o mesmo horário para começar e terminar o expediente.
  • Certifique-se de qual é o horário de trabalho dos clientes e fornecedores e tente cumprir as tarefas dentro desse limite. Assim, todos se encontram com facilidade para discutir projetos e solucionar qualquer problema.
  • Quando possível, defina um dia da semana para realizar tarefas fora de casa: resolver pendências no banco, marcar reuniões, frequentar um curso, encontrar colegas, comprar materiais. Evite se isolar do mundo exterior, tão rico para estimular a criatividade.
  • Alguém ligou para tratar de assuntos profissionais muito tarde e não é urgente? Deixe claro que é melhor conversar durante o horário comercial.
Uma questão de boa postura

A posição correta do corpo e os móveis adequados são os melhores aliados para quem realiza tarefas em casa. Algumas regras de ergonomia, estudo que visa adaptar o trabalho para os mais diferentes tipos de pessoas, ajudam a evitar danos à saúde. Lembre-se: conforto e produtividade andam de mãos dadas.
  • Procure variar a postura, pois repetitividade sempre é prejudicial. Se você fica sentado por longas horas, como regra geral, levante a cada 50 minutos e dedique 10 minutos para caminhar, ficar de pé, esticar-se... Mas aprenda a ouvir seu corpo - ele pode reclamar antes desse período. Alterne a posição quando sentir qualquer incômodo.
  • Se há padrões estabelecidos de móveis, o mesmo não acontece com o corpo humano. É raro encontrar modelos que sejam confortáveis para todos os tipos de pessoas. Por isso, algumas adaptações costumam ser necessárias. Quando sentado à mesa de trabalho, quem fica com os pés soltos no ar pode usar um tablado ou caixa como apoio para eles. Para quem é muito alto, o tampo da mesa não permite que as pernas se encaixem com conforto. A solução pode ser usar calços em todos os pés da mesa.
  • Em geral, as mesas são fixas, não havendo a possibilidade de adaptar a altura da bancada ao usuário. Por isso, a cadeira deve ter assento regulável. No mercado, os modelos em que a altura varia de 43 a 53 cm atendem a todas as estaturas. A cadeira deve ser ajustada para que o cotovelo, punho e mão fiquem na mesma altura da mesa. Os braços precisam estar relaxados.
  • Aconselha-se, como modelo de mesa, aqueles com desenho em C ou em L, que adaptam bem melhor o abdômen. Bordas arredondadas não machucam o corpo e tampos com superfícies opacas são a melhor opção para que a luz não reflita e prejudique a visão.
  • Os braços da cadeira são dispensáveis. Podem ser um apoio extra, mas para o trabalho na mesa não é tão necessário.
  • Evite instalar o home office contra a janela. O reflexo da luz diretamente no computador ou sobre a mesa prejudica qualquer trabalho. A luz precisa ser perpendicular para não haver sombra sobre o papel de quem escreve.
Fonte: Casa Claudia Especial - Trabalhar em Casa

Tudo por uma mudança – Parte Final

Postado por Mila Viegas às 07:52 0 comentários


Sair de uma casa grande para uma bem menor tem seu preço. É a mesma coisa de você querer colocar o Brasil dentro de Portugal. Por isso, traçamos um plano estratégico: todas as caixas receberam etiquetas com numeração e indicação do cômodo onde deveriam ser depositadas.
Fizemos uma planilha no Excel com o conteúdo de cada caixa. Ex.:
·         
      Caixa 01
Local: sala
Conteúdo: livros, CDs e DVDs.

Nossa esperança era de, com esse inventário, conseguir organizar melhor cada cômodo e abrir somente as caixas estritamente necessárias. Já sabíamos que essa mudança não seria definitiva – afinal nada é definitivo nessa vida – e procuraríamos desencaixotar somente o básico para o dia-a-dia. O plano era morar ali algum tempo e comprar uma casa com a nossa cara, do tamanho ideal e tudo o mais.

Se o carnaval de 2011 tivesse sido em fevereiro, mais uma vez não fugiríamos a regra e nos mudaríamos em ritmo de folia. Ainda bem que não foi assim.

Quando o caminhão chegou, instruí os ajudantes a lerem a etiqueta de cada caixa para depositá-las nos cômodos corretos. A coisa começou bem, mas sabem como é mudança. Assim que virei as costas foi um oba-oba de caixas dispostas a bel prazer. Todo o nosso plano estratégico foi por água abaixo. Caos!

Seis meses depois nos mudamos para cá... Nossa casa de verdade. Como havia ainda muita coisa encaixotada o transporte foi mais simples, principalmente porque, dessa vez, não mudamos para outra cidade. Conciliar o trabalho fora de casa com todo o trabalho que precisa ser feito dentro de casa não tem sido uma tarefa fácil e ainda há caixas aguardando a vez de serem abertas. Ainda há objetos com destinos incertos. Porém, num passo de cada vez, a organização tem sido priorizada (apesar de não parecer tanto).

Aos poucos, vou me despedindo da cigana Sandra Rosa Madalena que habita em mim, pois pretendo estabelecer meu pouso. Lembrando da velha frase clichê “nunca diga nunca”, fico por aqui enquanto os ventos soprarem nessa direção.

domingo, 15 de janeiro de 2012

Tudo por uma mudança – Parte IV

Postado por Mila Viegas às 11:07 0 comentários


O tempo passou. Lógico! E um sentimento velho conhecido começou a me visitar com frequência. Era chegado o momento de outra mudança. Mas antes disso, os cacarecos reformados com pátina cor-de-rosa foram substituídos por outras mobílias. Não havia mais espaço físico, tempo hábil e disposição para lixar tudo e repetir o processo. O ruim de transformar móveis usando certas cores e detalhes é que você se cansa muito rápido. Foi lá pelos idos de 2004 que descobri o significado da frase “menos é mais”.  Outro detalhe importante: esse vaivém de monta-desmonta reduz demais o tempo de vida dos móveis. É fato.

A mudança aconteceu em janeiro de 2005 sem grandes atropelos. Mas, cinco anos depois partimos para uma nova aventura. Estava na hora de voltarmos a morar numa casa e deixar de vez essa vida de apartamentos. Para quem foi nascido e criado em casa com quintal e árvores frutíferas, viver preso numa “gaiola” era algo bastante incômodo. Buscávamos a grama molhada de sereno, espaço para criar cachorros e brincar de pique-esconde... Queríamos resgatar a tranquilidade e o canto dos pássaros... Precisávamos de sossego e natureza.

Com tudo isso, percebemos que o tempo nos fez acumular muitas tralhas. Mas, mesmo após tantas mudanças não aprendemos a lição de que mudar no carnaval não é uma boa escolha. Para não fugir a regra: Carnaval de 2010, sábado, caminhão abastecido de caixas e mais caixas, subindo a serra para ser feliz. Caos!

Um ano inteiro de muita paz, clima ameno, cães correndo pelo quintal... Dias felizes! “Ahhhh, agora sim encontramos o lugar onde passaremos o resto das nossas vidas. Mudanças nunca mais!”. Em janeiro de 2011, mais precisamente no dia 12, descobrimos com muita dor no coração que aquela frase clichê “nunca diga nunca” realmente é verdade. Tragédia na região serrana do Rio de Janeiro: mortes, medo, incertezas, angústias, lágrimas, dúvidas, tristeza... É, precisamos descer a serra...

sábado, 14 de janeiro de 2012

Tudo por uma mudança – Parte III

Postado por Mila Viegas às 10:22 0 comentários

... No verão seguinte... Ah, no verão seguinte rolou um papo rápido sobre como seria bom morar ainda mais próximo do trabalho. Que tal nos mudarmos efetivamente para aquele bairro? Isso nos levaria a mais uma mudança de cidade, mas estávamos praticamente na “fronteira”. Foi tudo muito rápido (como sempre) e quando nos demos conta a casa inteira já estava encaixotada e desmontada.

De um apartamento em Niterói para outro situado no coração do Rio de Janeiro. Só que teve um detalhe importante: a mudança aconteceu em pleno sábado de carnaval! Hã?!?! O caminhão disputava espaço com os carros alegóricos das principais escolas de samba do Rio, ruas interditadas, engarrafamentos, prazos. Eu explico: fui para o apartamento antes de a mudança chegar com o intuito de deixar tudo organizado para recebê-la. O marido estava de carona no caminhão. O nosso novo prédio tinha uma regra: mudanças só poderão ser realizadas até às 17h. Já passava das 4 da tarde quando o meu celular tocou e meu marido avisou que não tinha previsão para chegar já que o trânsito estava caótico.

Sentei na calçada e esperei... esperei... esperei... Sr. Antônio, o porteiro, chegou cabisbaixo, dizendo entre os dentes: “Dona, sinto muito te dizer isso, mas sua mudança não poderá ser realizada”. CUMÉ QUIÉ, SEU ANTÔNIO???? Assim, ele levantou o dedo indicador e apontou para a placa que dizia: “Caros condôminos, gentileza respeitar o horário máximo de mudanças: 17h”.

Não, seu Antônio... Não pode, seu Antônio... “Ordens da síndica!”... Pô, seu Antônio, quebra essa!... “Não é que eu não queira, é que eu não posso”... Como não pode, seu Antônio?! Tem que poder...

Expliquei que o caminhão estava a caminho, mas por conta do carnaval a coisa chegou naquele pé e bla bla bla. Finalmente, às 18h o caminhão estacionou em frente ao prédio. Confusão formada! A síndica, nada amiga, nada compreensiva, nada simpática, estava de braços cruzados na portaria. “Não passa!”.  E foi um tal de passa e não passa que nem o horário de verão perdoou e o céu já começava a querer escurecer.

Senhora, pelamordedeus, enquanto estamos nesse passa-não-passa a hora tá passando!” Não lembro como conseguimos chegar num acordo, mas tudo passou, inclusive o tempo...

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Tudo por uma mudança - Parte II

Postado por Mila Viegas às 09:29 1 comentários

A primeira mudança aconteceu quando eu me casei. Saí da casa dos meus pais levando apenas alguns objetos pessoais e parte do enxoval. Até que não foi tão mal. Tudo novinho para uma nova vida... É uma sensação muito bacana cozinhar num fogão que acabou de sair da caixa, dormir numa cama com cheiro de plástico-bolha, estrear o controle remoto da TV... Chegar da noite de núpcias e encontrar a casa todinha pronta, cada coisa em seu lugar. Maravilha! Até que...

Três anos depois eu decidi que queria me mudar, ir para uma casa maior. “Por quêêêêêê???”, era a pergunta que todos me faziam. E eu simplesmente queria me mudar, ter novas experiências. Mal sabia eu que aquela decisão renderia tantas outras mudanças.

Não ficamos muito tempo na casa nova... Literalmente nova porque tinha acabado de ser construída. Mas, como a vida é mesmo uma caixinha de surpresas, precisamos nos mudar de cidade. Nisso, eu já tinha herdado alguns móveis (leia-se “cacarecos”) de família e não queria ir para a próxima residência com tudo aquilo onde nada combinava com nada. O prazo era curto, porém decidimos reformar toda a mobília da sala num faça-você-mesmo repleto de experiência-nenhuma. E toca a reunir a família... A mulherada toda animada! Pobre adora um mutirão! Rsrsrs.

Era a primeira vez na minha vida que eu moraria num apartamento. Além de ser no último andar estava todo destruído. O que sobrou do carpete precisou ser retirado, pois parecia que alguém havia soltado um leão lá dentro. Descobrimos um piso que daria para reaproveitar e o mutirão inteiro, munido de querosene e milhões de outros solventes, jogado ao chão esfregando restos da cola do carpete.

Sinceramente, eu não sei explicar como que em 15 dias conseguimos fazer pátina em todos os móveis da sala (mesa de jantar, sofá de madeira, mesinhas de canto, pequenas estantes- ainda rolou pátina em banquinhos, mesa da cozinha), pintar o apartamento (compramos faixas decorativas, misturamos cores de tinta), consertar vazamentos e fazer a mudança. Meu marido quase pariu um gato quando viu que a sala inteira estava rosa e amarela... Sim, porque do processo de “restauração” da mobília ele não participou, só as "meninas" foram convocadas para essa missão.

Eu e meus cunhados fizemos muitas viagens num fiat uno branco abarrotado de vasos de plantas e alguns cacarecos reformados com o suor do nosso corpo. Pobre é assim e ainda grita: O QUE DÁ PRA LEVAR DENTRO DO CARRO... LEVAAAA!!! Lógico que a gente não ia correr o risco dos trogloditas-do-caminhão-de-mudança machucarem uma plantinha ou arranharem a nossa pátina rosa. Nem pensar!

No final deu tudo certo e passamos alguns bons meses nos sentindo dentro de uma casinha de bonecas. Porém, no verão seguinte...

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Tudo por uma mudança - Parte I

Postado por Mila Viegas às 08:42 1 comentários


Desde o meu casamento mudei de residência 08 vezes e confesso que não sou fã desse processo de encaixotar-transportar-arrumar. Por isso, espero que essa síndrome de Cigana-Sandra-Rosa-Madalena dê um tempo da minha pessoa porque preciso sossegar num lugar só por bastante tempo.

Acho que herdei essa vida itinerante da minha família materna... Não, não sou de família circense, embora às vezes possa parecer (mas pula essa parte).

Na terça-feira passada, enquanto eu estava aqui encerando o chão da minha cozinha e tentando me livrar das tralhas ainda acumuladas em caixas no vão da escada da sala, eis que surge a minha irmã: coloca o cabeção na janela, me dá um susto e me faz o convite mais cara-de-pau do dia... “Me ajuda a arrumar a minha mudança?”. Pois é, ela está se mudando com a família e, para variar, tudo-ao-mesmo-tempo-agora. “Garota, ainda nem arrumei o transporte, mas te adianto que as tralhas partirão de um jeito ou de outro na próxima sexta-feira pela manhã!”, ela me disse com uma tranquilidade que me assustou mais ainda.

Como assim, gente? SEXTA-FEIRA?

Na quarta-feira acordei cedo e corri para a ex-casa dela. Para a sorte de todos ela não junta tanta tralha. Correrias a parte, as coisas fluíram e estão bem encaminhadas para amanhã.

Minhas mudanças sempre foram meio loucas. Sempre acontecia algo e sempre era corrido. Eram épocas em que eu desejava, do fundo do meu útero, encontrar uma lâmpada mágica ou uma varinha de condão que transformasse aquela realidade caótica em organização num piscar de olhos. Segundos depois eu caía na real, contos de fadas não existem e eu precisava mesmo encarar o trabalho pesado.

Contarei algumas passagens e experiências em posts separados para não cansar a beleza das minhas leitoras. Vamos aguardar.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

"A pequena casa na floresta"

Postado por Mila Viegas às 17:54

Ah, minha Criatura admirável...
Seja bem-vinda...
Entre, entre...
Estou esperando por você... é, por você e pelo seu espírito! Fico feliz por você ter conseguido encontrar o caminho...
... Venha, sente-se comigo um pouco. Pronto, vamos fazer uma pausa, deixando de lado todos os nossos "inúmeros afazeres". Haverá tempo suficiente para todos eles mais tarde. Em um dia distante, quando chegarmos às portas do paraíso, posso lhe garantir que ninguém vai nos perguntar se limpamos bem as rachaduras na calçada. O que é mais provável é que no portal do paraíso queiram saber com que intensidade escolhemos viver; não por quantas "ninharias de grande importância" nos deixamos dominar.

Por isso vamos, por enquanto, permitir apenas que o pensamento tranquilo nos abençoe por um tempo antes que voltemos a falar sobre o velho realejo do mundo... Venha, experimente essa poltrona. Acho que é perfeita para o seu corpo querido. Pronto. Agora, respire bem fundo... deixe os ombros caírem até o ponto que lhes seja natural. Não é bom poder respirar esse ar puro? Respire fundo mais uma vez. Vamos... Eu espero... Viu? Está mais calma, mais presente agora.

Preparei a lareira perfeita para nós. O fogo vai durar a noite inteira - suficiente para todas as nossas "histórias dentro de histórias". Um momentinho só, enquanto termino de lavar a mesa com menta fresca. Pronto, vamos usar a louça bonita. Vamos beber o que estávamos reservando para "uma ocasião especial". Sem dúvida, "uma ocasião especial" é qualquer ocasião à qual a alma esteja presente. Você já percebeu? "Reservar" para outra hora é o jeito que o ego tem de dizer, rabugento, que não acredita que a alma mereça prazer no dia-a-dia. Mas ela merece, de verdade. A alma sem dúvida merece.

Por isso vamos nos sentar um pouco, comadre, só nós duas... e o espírito que se forma sempre que duas almas ou mais se reúnem com apreço mútuo, sempre que duas mulheres ou mais falam de "assuntos que importam de verdade".

Aqui, neste refúgio afastado, permite-se... e espera-se que a alma diga o que pensa. Aqui sua alma estará em boa companhia. Posso garantir-lhe que, ao contrário de muitas no mundo lá fora, aqui sua alma está em segurança. Fique tranquila, comadre, sua alma está a salvo.

(Clarissa Pinkola Estés em "A Ciranda das Mulheres Sábias")

Dedico esse texto à todas as leitoras do meu "Diário" que se veem as voltas com tantos afazeres cotidianos, que se cobram por resultados urgentes, que se sentem pressionadas à cumprir com maestria todos os papéis que desempenham dia após dia. Permitam-se sentar confortavelmente numa poltrona quando o corpo pede uma pausa, mesmo que a louça suja do almoço te exija providências.

Copa transformada com pouco dinheiro e muita disposição.

Postado por Mila Viegas às 13:28 1 comentários
Crica Viegas é decoradora e após ver sua casa passar por uma enchente precisou colocar a mão na massa para reformar alguns cômodos que sofreram com as águas de abril do ano de 2009. Não foi uma tarefa fácil e como ela mesmo me explicou: "...usei basicamente tinta, madeira de obra, adesivo de parede e muita força de vontade..."

Veja como era:



Como ficou:


Crica faz questão de destacar o uso do adesivo de parede que custou apenas R$ 5,00 e deu um charme todo especial ao espaço. Para mim, aconchego é a palavra perfeita para definir essa copa. Que tal um café com ares de outono?

Veja mais em seu blog Um Pouco de Tudo.

Ela promete publicar o "Antes e Depois" do quarto da filha... Vamos aguardar!


O quarto da princesa Inessa  reformado e decorado: Crica conta como foi a saga e ainda nos faz perceber que com pouco investimento é possível conseguir um resultado fofo. Veja aqui!

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Operação Tique-taque: 30 minutos para limpar/organizar algum canto da casa.

Postado por Mila Viegas às 18:08 1 comentários

Vida corrida (como sempre);
Férias de um verão que mais parece inverno;
Filho exigindo atenção...

Resolve daqui, ajeita dali e o tempo (precioso) vai passando a passos largos. A gente cansa de dizer aos quatro cantos que nunca tem tempo pra nada. Pois bem!

Essa dica é simples: estabeleça um tempo X para limpar algum canto da casa e abuse do seu despertador.

Pergunte-se: O que consigo limpar/organizar em 30 minutos?

30 Minutos na Cozinha (Escolha um dos itens):
  • Lavar a louça e limpar o fogão;
  • Limpar e organizar a geladeira;
  • Limpar o chão e colocar panos de prato de molho;
  • Organizar a despensa.
30 Minutos no Quarto (Escolha um dos itens):
  • Organizar o Closet/Armário;
  • Limpar chão e mobília.
30 Minutos na Sala (Escolha um dos itens):
  • Aspirar os estofados e limpar o chão;
  • Limpar mobílias e objetos decorativos.
Esses foram apenas exemplos do que você pode fazer em 30 minutos, mas o tempo varia de acordo com as necessidades de cada um. Se precisar de mais 5 ou 10 minutos que seja, aperte o "soneca" do seu despertador... rs, mas não exija demais de você. Intercale os períodos: 30 minutos na "Operação Tique-taque"... 30 minutos lendo um livro... 30 minutos na "Operação Tique-taque"... 30 minutos saboreando um café... E por aí vai. Experimenta!

Quero que a Sebastiana quebre o meu galho!

Postado por Mila Viegas às 00:34 0 comentários

Uma suntuosa casa antiga ou moderna, com o requinte de
uma bela decoração interna, ou uma casinha simples,
despida de estilo ou de rebuscada decoração, cujo interior
reúne apenas a simplicidade de seu conteúdo, grande
ou pequena, modesta ou não, ela deverá ser "a sua casa".

Nos simples e pequenos cômodos de uma modesta
casinha, onde a nossa sensibilidade capta o limite de
alguns magros salários mínimos, e  na quase total ausência
de ornamentos, temos nossa atenção voltada para alguns
pequeninos quadros salpicados na parede, emoldurando
fotografias de entes queridos.

Seus tapetes, comprados a prestações, cobrem apenas
alguns metros de chão, e a iluminação é dada por um
único foco, cuja lâmpada parece se agarrar ao teto.

Seu ambiente é por vezes alegrado pelo barulho da rua,
pela algazarra das crianças, ou pelo som, que o rádio da vizinha
se encarrega de transmitir no mais alto volume.

Num palacete, o perfume das flores se mistura ao luxo e à
beleza do seu conteúdo, tendo como complemento uma rica
pinacoteca, em cujas paredes ressaltam um Picasso e um
Di Cavalcanti, um Renoir e um Portinari. Tapetes persas são
jogados sobre felpudos e coloridos carpetes, onde, ao pisar,
temos a impressão de estar flutuando num "tapete mágico".

Os jarros com flores, a meia-luz dos abajures e a doce
melodia de Chopin ou de Beethoven que o aparelho
de som espalha pelas salas fariam, sem dúvida, o mais
belo e agradável ambiente, se dentro dela houvesse o
riso de uma criança ou a alegria de um adolescente, pois é
isso que faz um verdadeiro lar. No lar perfeito, o amor
substitui, com muita vantagem, o luxo.
(pp. 239, 240)

Trouxemos esse trecho do livro "Sebastiana Quebra-Galho" de Nenzinha de Machado Salles para inaugurar a primeira promoção do nosso blog que já está acontecendo na nossa página no Facebook.

Quer que a Sebastiana quebre o seu galho? Então corre lá e participa. O sorteio será no dia 04 de fevereiro de 2012.

Clique aqui e confira!

domingo, 8 de janeiro de 2012

Avanços?! Ou não???

Postado por Mila Viegas às 12:09 0 comentários
Neste sábado (ontem), acordei às 7:20 da manhã. A ideia era todos acordarem cedo para começarmos os preparativos de organização. No fim, eu fui a única que cumpriu o acordo do horário.

Embora a movimentação não tenha sido assim tão produtiva em termos de faxina propriamente dita, não ficamos tão frustrados. Avançamos pequenos passos, mas foi como começar uma obra nas galerias de esgoto de uma cidade: ninguém efetivamente vê o progresso, embora exista.

O quartinho de ferramentas não estava em nossos planos ainda e, talvez, num ato meio inconsciente ele foi o primeiro a ser organizado. Depois entendemos o motivo: encontrar todo o material necessário para as pequenas reformas que precisaremos dar início.  E não é que encontramos rolos de tinta lacrados, pincéis, toda a sorte de parafusos, martelos, etc.?! Está tudo lá no quartinho dos fundos, ou melhor, no quartinho que fica do lado de fora da nossa casa e que por uma ironia do destino fica na área de churrasqueira. Comemoramos num estilo bem brasileiro com um pequeno churrasco em família e... Pronto! Acabou o dia! kkkkkk

Porém, tivemos mais avanços. Um deles foi conseguir elaborar uma lista de itens necessários para construirmos uma cerca no quintal. E outro: estudamos um meio de, finalmente, restaurar uma cômoda "cacareco" provençal que está há tempos sob o nosso domínio.. hihihi.

Não dá para organizar a vida que levou anos desorganizada num dia só. Estamos na fase do step by step.

Para inspirar o domingo... cores na cozinha!

Postado por Mila Viegas às 08:25 2 comentários
Não é um sonho???

Fofo. Só não gostei muito desse quadro apoiado na prateleira de cima. Que mania essa gente tem!

Oh dots!

Essa estante com rodízios deve ser super prática, mas eu ainda prefiro guardar a vassoura de bruxa na área de serviço... hihihihii.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Algo assim..

Postado por Mila Viegas às 08:38 1 comentários

Exatamente o que eu quero e pretendo fazer num cantinho do meu quarto. Só que a parte de baixo será uma escrivaninha. Já tenho meio caminho andado: as estruturas para fixar na parede para as prateleiras... hehehe.

É uma ideia legal para quem curte versatilidade.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Pra relaxar... Um vinho... barulho de chuva e...

Postado por Mila Viegas às 20:20 2 comentários
... acabando de me lembrar que deixei roupas num varal super susceptível à chuvas com rajadas de vento. Tenho opções:

a)      Saio na escuridão e tomo um banho de chuvaaaa, um banho de chuva-aaaa;
b)      Olho de longe e finjo que não vi;
c)       Cato tudo e mudo de varal tentando equilibrar o guarda-chuva Mary Poppins;
d)      Esqueço que esse dia existe.

Mudando de assunto, amanhã é dia de faxina ou deveria ser. Pensei em passar textura na parede do meu jardim de inverno já que a semana fez sol quente e tudo o mais, mas o Universo conspira para eu não me cansar. Fazer o que?

Queria também dar banho nos cachorros e usar meu Mega Power Lava-Jato para exterminar todas as aranhas gigantes que cismam em construir teias no estilo Niemeyer por volta da minha casa inteira. Tô super a fim de dar um tiro de água nelas, embora eu morra de pena de matar as bichinhas. Mas vamos pensar que elas são muito mais organizadas que eu e isso já gera certo ódio por ter provas mais que concretas que um aracnídeo parece ter mais paciência para cuidar da própria casa. MORRAMMM TODASSSS!

À tarde, quando começou a cair uns pingos do céu, as cigarras se esgoelaram até explodir e eu ainda estou confiante de que amanhã fará um dia quente típico de verão. Daí minha mãe ligou perguntando se estava chovendo aqui, eu disse que mais ou menos, e ela não me poupou da informação de que lá estava um temporal e que certamente viria para as bandas de cá. Profecia sendo sentida neste momento.

E as roupas continuam lá. Oh God, tanto trabalho, tanto amaciante e sabão líquido, para no final ficar tudo fedendo a cachorro molhado! Vou apelar para Mary Poppins...

Você acredita em duendes???

Postado por Mila Viegas às 19:37 0 comentários
Não, você não se acha na sua própria bagunça, você só pensa que se acha!

Meu marido, por exemplo, deve ter um imenso estoque de chaves de fenda em algum lugar. Assim como eu devo ter um estoque parecido, só que de essência de baunilha. Ok... Não vamos pensar só em dinheiro pelo fato de você ter que comprar várias vezes o mesmo produto porque simplesmente o perdeu dentro da própria casa, vamos pensar também que isso gasta é tempo (coisa que é impossível recuperar).

Então tá. Quando você vive na bagunça, ou melhor, na sua bagunça, naquela que você pensa que entende, você simplesmente ajuda a criar um imenso buraco negro dentro de casa e praticamente convida o tal “duende zombeteiro de uma perna só” (vulgo Saci) a ir morar com toda a sua família. Simmmmm, duendes existem quer ver?

Quem você acha que esconde todas as canetas, isqueiros, chaves de fenda, essências de baunilha, meias?

É o duende zombeteiro de uma perna só que você convidou para fazer parte do seu lar doce lar quando, por exemplo, tira uma coisa do lugar e não coloca de volta.

Gente, quantos pé de meias perdidas no buraco negro? Por que, meu Deus, por que temos tantas meias órfãs na nossa gaveta esperando um milagre para reencontrar sua alma gêmea? Coisas do tal duende, porque afinal de contas precisamos culpar alguém... hihihihihihi.

Pra você que curte um cacareco!

Postado por Mila Viegas às 17:15 2 comentários
O problema de comprar uma casa velha é ter disposição ($$$) para fazer as reformas necessárias. O bom de comprar uma casa velha é você poder deixá-la com a sua cara.

O problema de comprar uma casa grande é ter disposição para organizá-la. O bom de comprar uma casa grande é conseguir dispor as mobília sem precisar ficar tropeçando em tudo.

O problema de você comprar uma casa velha e grande é viver dando desculpas de que só vai se dedicar a organizar cada cômodo depois que conseguir pintá-lo ou reformá-lo. Outro problema é que você vai descobrindo mais problemas, como: fiação elétrica que pode explodir a qualquer momento, canos que “do nada” entopem, torneiras que dão “ar” e viram conta-gotas...

Outro problema são os móveis velhos, aqueles que você ganhou de alguém ou comprou num brechó e acha que ficarão lindos com uma pátina provençal, découpage, etc. e tal e tem certeza de que em algum momento lhe baterá uma inspiração divina e você vai pegar as lixas, as tintas e todas as ferramentas necessárias para começar a maratona do “faça-você-mesma” ou “Do It Yourself” (para as que gostam de glamourizar as tarefas). A pergunta que não quer calar é: “Você está mesmo disposta a fazer isso?”. E o pior, você já comprou tudinho que precisa para fazer o tal extreme makeover e juntou mais tralha. Tem um arsenal de tintas, pincéis, rolos, removedores, luvas, lixas e bla bla bla olhando para a sua cara todas as vezes que você passa perto do vão da escada... Sim, porque você estrategicamente deixou as ferramentas bem expostas para se lembrar de que “algum dia” colocará a mão na massa.

O que fazer, leitora amiga?

(          ) Tacar fogo!
(          ) Continuar ignorando.
(          ) Ter esperanças.
(          ) Parar de palhaçada e assumir que a responsabilidade é toda sua e ninguém mandou você se meter a restaurar cacarecos.

Confesso que todas as alternativas acima são super válidas. Mas a última é mesmo a realidade gritando pra você, pra mim, pra todas nós metidas num DIY.

Dica óbvia: reúna suas forças, aproveita o verão, acorde bem cedo num belo dia de sol, luvas a postos e FAÇA A COISA ACONTECER!!! Quem disse que só porque você está de férias, precisa ir à praia? Vambora reformar seus cacarecos pra ser feliz J

Caos na cozinha!

Postado por Mila Viegas às 15:01 1 comentários
Hoje, decidi começar pela cozinha. Juro que não consigo entender como que numa casa de apenas 3 moradores é capaz de existir pelo menos o triplo de copos sujos, sem falar nos pratos e talheres. Lembro-me bem que no dia 23 de dezembro/11 a cozinha estava realmente impecável, ou melhor, a pia estava impecável. Guardei todas as louças e deixei apenas 3 itens de cada à nossa disposição.

Enquanto o filho estava fazendo o achocolatado para tomar café-da-manhã, eu gritava de onde quer que estivesse: "- Sujou, lavou hein malandro!". Mas, no dia 24, em menos de 24h, o caos estava formado novamente. Como???

Explico: é mais fácil abrir o armário e se deparar com um arsenal de louças limpas do que lavar a que está suja.

A única solução que encontro é QUEBRAR todas a louças excedentes... rs. Essa ideia foi logo descartada porque como faria quando recebesse visitas em casa? Revesamento de copos e pratos? Ou anunciar: Vamos ser ecológicos, minha gente, se vierem me visitar cada um que traga o seu Kit Cozinha e não aceito descartáveis!?


Pois é... Não é assim que funciona!

Hoje estou empreendendo mais uma tentativa de guardar tudo e só deixar o essencial. Mas será que o essencial por aqui continuará sendo invisível aos olhos? Consciência, meus caros... Tudo é questão de consciência. Há ainda algumas cartas na manga que preciso testar e venho contar em primeira mão se alguma experiência virou solução.

Falar é fácil, colocar em prática é que são elas!

Dicas???
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Assine a petição!

 

Diário de uma bagunceira ;) Copyright © 2011 Design by Ipietoon Blogger Template | web hosting